Sony manterá presença no país, mesmo sem fabricar mais smarpthones no Brasil

Recentemente em uma entrevista para o G1, representantes da Sony afirmaram que a marca japonesa não fabricará mais smartphones no país por conta de seu line-up de produtos. Oferecendo modelos a partir dos R$ 1.800, a empresa decidiu que é mais fácil importar esses aparelhos, já que não tira proveito mais de isenções fiscais ou qualquer outro tipo de incentivo para manter a produção local. Apesar desse recuo, a empresa não irá abandonar o mercado nacional.

A Sony Mobile reitera que a estratégia de importação de produtos premium permanece a mesma desde o final do ano passado. Os modelos Xperia Z5 e Xperia Z5 Premium já eram importados e os lançamentos Xperia X e Xperia XA também serão. A marca permanece comprometida com o mercado brasileiro e iniciou ontem a pré-venda dos modelos Xperia X e Xperia XA, que estão sendo lançados mundialmente em junho.

- posicionamento oficial da Sony através de assessoria de imprensa

O retrocesso da Sony não é algo que acontece apenas no mercado brasileiro. De acordo com IC Insights, empresa de consultoria na área de tecnologia, a empresa japonesa já não figura mais entre as 12 maiores fabricantes de smartphones no mundo. Samsung e Apple seguem na liderança, enquanto muitas das demais posições foram "tomadas" pelas empresas chinesas, como Meizu e Huawei que ampliaram sua participação em quase 30% em um ano. Além da Sony, outra gigante, a Microsoft, também desapareceu dessa lista.



Ranking das 12 maiores fabricantes de smarpthones em vendas no 1º trimestre
 

- Continua após a publicidade -

Além da Sony, outra empresa que não tem dado sinais positivos no mercado brasileiro é a Xiaomi. Após circularem informações sobre sua possível saída do país, a empresa desmentiu que estaria abandonando o mercado nacional. Porém. em entrevista cedida ao G1, a empresa declarou que não tem planos de trazer novos modelos ao país em curto prazo, sendo que o principal motivo seria as constantes mudanças no modelo de tributação no setor.

Fonte: IC Insights, G1
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual vai ser o melhor game de setembro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.