DirectX 12 fez os desenvolvedores ficarem mais experimentais e criativos, afirma diretor da Crytek

Desde que as APIs de baixo nível como Mantle, DirectX 12 e Vulkan foram lançadas, os desenvolvedores aceleraram os avanços em desempenho e as inovações no espaço dos games, que antes estavam lentos e escassas. Ao menos é isso que pensa o diretor técnico da Crytek, Rok Erjavec.

"[Por causa do DirectX12], Eu não tenho dúvida de que veremos muito mais novas abordagens e desvios das pipelines de renderização estabelecidas, algo que já está acontecendo até um certo ponto", defendeu Erjavec.

"Existe uma riqueza de pesquisas acadêmicas que estavam mal adaptadas para a aplicação prática através de uma combinação das limitações das abstrações de hardware e software. Com os problemas da abstração de software fora do caminho, e a flexibilidade de hardware melhorando de forma contínua, nós estamos olhando para um crescimento na experimentação novamente", continua o diretor técnico da Crytek.

"Em conjunto com o fato de que os primeiros títulos para DirectX 12 efetivamente foram ports de assets e bases de códigos otimizadas para DirectX 11, nós ainda não estamos vendo softwares que realmente se aproveitam das forças do DX12. Em algumas maneiras, as equipes terão que reaprender de maneira específica como consertar coisas que antes eram de responsabilidade das equipes de desenvolvimento de drivers no DX 11", explica Erjavec.

"A situação vai continuar a melhorar durante 2016, e conforme mais títulos vão focando em APIs de baixo nível desde o começo do desenvolvimento, as diferenças e os benefícios vão ficar mais óbvios", conclui.

Fonte: Tweak Town
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

Escolha sua arma:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.