Integração com ondas cerebrais promete revolucionar os games

A interatividade dos games com o corpo humano tem ficado cada vez maior e atraído a atenção de mais desenvolvedores. O Wii, o Projeto Natal, o futuro controle com sensor de movimento do Playstation 3... todos são criados com a expectativa de mudar a forma tradicional com a qual se joga um game.

Seguindo essa tendência, a NeuroSky mostrarÁ, durante a próxima Game Developers Conference (GDC), em São Francisco (EUA), entre os dias 9 e 13 de março, uma tecnologia que permite interagir com os jogos através de ondas cerebrais.



Ou seja, desta vez, não falamos em sensores de movimento, mas sim em games desenvolvidos com uma tecnologia que permite o controle somente pela concentração ou pelo pensamento.



Na ocasião, os participantes do evento poderão, ainda, ver as novas funcionalidades de "bio-controle" da companhia, além de uma nova geração de headsets, desenvolvida especialmente para gamers. A empresa também anunciarÁ um programa de desenvolvimento, para encorajar produtoras a criar novas aplicações ou atualizar seus games jÁ existentes.

Os aplicativos disponíveis para demonstração na GDC serão fornecidos por vÁrios parceiros da NeuroSky, incluindo PlayLab, Roll7, MindGames, Luminosity, First Hill Media, InteraXon e Acclair.



Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.