Mossack Fonseca diz que foi vítima de hackers no vazamento Panama Papers

A Mossack Fonseca disse que os 11 milhões de documentos vazados no caso Panama Papers não foram liberados por alguém de dentro da empresa, mas sim por hackers que invadiram o sistema do escritório de advocacia. De acordo com o co-fundador Ramon Fonseca, a empresa foi vítima de um ataque de cibercriminosos e este é o único crime comprovado do Panama Papers.

"O único crime que foi comprovado é o hack. Ninguém está falando sobre isso. Essa é a história"

- Ramon Fonseca, co-fundador da Mossack Fonseca

Fonseca também afirmou que sua empresa apenas presta serviços para os clientes evitarem pagar taxas elevadas e todas as operações feitas pelo escritório são legais. O co-fundador da companhia também disse que a empresa possui cerca de 500 funcionários, mas não comentou sobre filiais e funcionamento fora do Panamá. O caso ainda está sendo investigado e a ainda não é certo que a empresa foi vítima de uma invasão feita por hackers.

- Continua após a publicidade -

Entenda o que é o Panama Papers

O advogado de 63 anos culpa a mídia, chamada por ele de sensacionalista e ativista, pela repercussão negativa da divulgação dos documentos. Segundo Fonseca, os arquivos estão sendo mostrados "fora de contexto", o que está levando a interpretações errôneas.


Ramon Fonseca, co-fundador da Mossack Fonseca

Os documentos da Mossack Fonseca vazados foram entregues para o jornal alemão Süddeutsche Zeitung por uma fonte desconhecida que pediu para permanecer anônima. Depois, os 2.6 TB de arquivos vazados foram analisados durante um ano pelo Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo e começaram a ser liberados para imprensa.

No site do Panama Papers, é possível ver um resumo do trabalho dos jornalistas, que mostrou a ligação de empresas off-shores com familiares, amigos e políticos de renome como o presidente da Rússia Vladmir Putin, o presidente da Ucrânia Petro Poroshenko, o primeiro ministro da Islândia Sigmundur Davíð Gunnlaugsson e políticos brasileiros como Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o ex-deputado federal João Lyra (PTB-AL) e o ex-ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

- Continua após a publicidade -

Brasileiros envolvidos na Operação Lava Jato são
mencionados no vazamento dos Panama Papers

Mais informações sobre o Panama Papers podem ser encontradas no site do ICJI e nesta postagem do Adrenaline. Caso você não tenha entendido o caso e saiba um pouco de inglês, o Vox fez um vídeo explicando o vazamento de uma forma bem didática: utilizando porquinhos.

{via}Reuters|http://www.reuters.com/article/us-panama-tax-fonseca-idUSKCN0X3020{/via}

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.