Claro e NET fazem teste inédito e querem estimular a implementação do LTE Broadcast no Brasil

A Claro e a NET realizaram nesta sexta (19) a primeira transmissão em LTE Broadcast na América do Sul. O palco para o teste foi o Rio Open, torneio de tênis realizado esta semana no Rio de Janeiro e que conta com alguns dos principais jogadores da ATP. A transmissão inédita contou com a parceria da Qualcomm, Ericsson, Globosat e Samsung, em uma demonstração que a empresa está em busca de soluções para a crescente demanda de dados em dispositivo móveis.

A transmissão experimental demonstrou o potencial da tecnologia LTE Broadcast, que permite criar uma conexão através da rede 4G e transmitir grandes quantidades de conteúdo de forma simultânea para vários usuários, sem aumentar o consumo da rede, ao contrário da tecnologia Unicast presente nas transmissões tradicionais, onde o conteúdo é transmitido individualmente para cada usuário, sobrecarregando a rede quando muitos usuários acessam simultaneamente. A tecnologia permite que várias pessoas consigam ter acesso simultâneo ao mesmo conteúdo nos seus dispositivos móveis, além de otimizar a capacidade de transmissão. No LTE Broadcast os vídeos são enviados utilizando o encode H.265, que consegue enviar mais dados consumindo a mesma banda do H.264, ou ainda enviar a mesma qualidade de imagem com menor consumo de banda.

LTE Broadcast distribui conteúdo pela rede para múltiplas pessoas sem sobrecarregar a infraestrutura

De acordo com Rodrigo Vidigal, diretor de marketing da América Móvil, a estrégia de começar a testar o LTE Broadcast e impulsionar sua adoção no mercadose deve ao fato de a empresa estar sempre em busca da vanguarda e de entregar uma experiência inovadora no segmento de operadoras de telefônia, enfatizando que "há uma demanda crescente por conteúdo de vídeo online de alta qualidade em dispositivos móveis e o LTE Broadcast garante uma experiência única, que chega primeiro no Brasil para clientes da Claro”.

Demonstração e perspectivas para o Brasil
A tecnologia LTE Broadcast já está presente na maioria dos chips Snapdragon da Qualcomm e também nos chips Exynos da Samsung, porém nenhum dos smartphones disponíveis no Brasil atualmente possuem o middleware - uma camada de software que faz a ponte entre o hardware e os apps, faltando assim uma atualização de software para que possam se tornar compatíveis e funcionais com a tecnologia LTE Broadcast. Durante o demo instalado no Rio Open, foram utilizados aparelhos Samsung Galaxy S5 (Snapdragon) e Galaxy S6/Edge (Exynos) rodando o app Claro Esportes, desenvolvido em menos de 72 horas pela Movile utilizando o SDK disponibilizado pela Qualcomm. O app permite assistir aos jogos do Rio Open em resolução HD apenas com um leve delay, dando acesso a 04 câmeras que podem ser alteradas apenas deslizando o dedo na tela. O conteúdo foi produzido pela Globosat, com o SporTV transmitindo as partidas para o complexo utilizando a tecnologia 4GMax, da Claro.

- Continua após a publicidade -

A infraestrutura necessária para transmissão foi fornecida pela Ericsson, com a instalação de antenas compatíveis com o LTE Broadcast em três pontos ao redor do Jockey Club - local do evento. Segundo Jefferson Nobile, Diretor de Soluções de TV e Mídia da Ericsson, as antenas de LTE Broadcast podem ser instaladas nas mesmas torres onde atualmente estão instaladas antenas de 3G e 4G. O executivo mencionou ainda que "o mercado projeta um crescimento de cerca de 60% a cada ano até o final de 2020 no que se refere ao tráfego de vídeo nas redes móveis. Deste modo, é importante que todas as condições sejam definidas para que as operadoras possam dar aos seus assinantes uma experiência de vídeo de alta qualidade a qualquer hora, em qualquer lugar, isso ainda enquanto se faz a gestão de eficiência da rede".

A transmissão experimental deixou claro que para o LTE Broadcast se tornar uma realidade no Brasil, é necessário haver uma grande adoção da tecnologia por parte dos fabricantes de smartphones, assim como a definição de um modelo de negócios rentável para todos os envolvidos. Comercialmente, apenas a Coréia do Sul possui uma operadora disponibilizando LTE Broadcast a seus assinantes. De acordo com Roberto Medeiros, diretor sênior de desenvolvimento de produtos da Qualcomm Brasil, eventos como os Jogos Olímpicos trazem uma grande oportunidade. "Com o LTE Broadcast, as operadoras podem utilizar melhor sua infraestrutura existente e entregar uma experiência de vídeo premium e otimizada, sem sobrecarregar as redes, especialmente durante eventos com grande concentração de pessoas, como o Rio Open e os Jogos Olímpicos".

Apesar da iniciativa da Claro e NET sinalizar para o mercado que grandes players tem interesse em implementar o LTE Broadcast no Brasil, ainda não há qualquer previsão de chegada de uma grande gama de smartphones com uma solução completa embarcada de LTE Broadcast no país. O que a Claro espera é que fabricantes sigam sua iniciativa em breve, tornando possível disponibilizar a tecnologia no mercado em um futuro próximo.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Tags
  • Redator: Jacson Boeing

    Jacson Boeing

    Apaixonado por tecnologia, gadgets e pelo universo geek em geral, Jacson Boeing é sócio-fundador e Editor do Adrenaline, onde desenvolve um trabalho de bastidores, desenvolvendo parcerias e formas criativas de dominar o universo! Fora os sonhos ambiciosos, também ajuda no desenvolvimento de pautas e escreve esporadicamente sobre tecnologia, além de viajar para cobrir in-loco alguns eventos internacionais considerados importantes dentro da estratégia de expansão do Adrenaline.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.