Mercado mundial de smartphones continua crescendo, enquanto Brasil tem novo trimestre com decréscimo

O disputado mercado de smartphones continua em expansão. De acordo com dados divulgados pelo DigiTimes Research, foram enviados no total quase 332 milhões de smartphones globalmente ao longo do terceiro trimestre do ano, algo que representa um crescimento de 10.5% comparado ao trimestre anterior e 7.7% acima do registrado no mesmo período do ano passado.

No topo segue a Samsung, sendo que a empresa sul-coreana detém 25.6%. No segundo lugar vem a Apple, com impressionantes 14.5%, um número muito expressivo se considerarmos que a empresa trabalha apenas com smarpthones de alto custo. Na sequência o ranking volta a ser dominado por asiáticos. A Huawei (atual líder na China) representa 7.4%, seguida pela Lenovo com 4.8%, LG com 4.5% e a Xioami e seus 3.8%.

Os 15 maiores fabricantes juntos representam 81.4% do mercado internacional, sendo que nove deles são chineses, dois americanos (além da Apple, a Microsoft aparece no ranking com 1.7%), um sul-coreano, um japonês (a Sony, com 2%) e um taiwanês (Asustek, com 1.4%).

As expectativas para o último trimestre são ainda mais positivas. De acordo com o Digitimes Research, serão enviados 396.8 milhões de aparelhos nos últimos três meses do ano, totalizando 1.326 bilhões de smartphones durante todo o ano de 2015 e um crescimento de 10.1% comparado ao ano passado. 

Brasil na contra-mão
Em nosso país a tendência é bem diferente. O país registrou uma nova queda nas vendas durante o terceiro trimestre desse ano, a segunda queda consecutiva. De acordo com o IDC foram vendidos no total 10 milhões de smartphones, uma queda de 25% comparado ao mesmo período do ano passado. A expectativa é que o ano feche com um total de vendas que coloca o país no mesmo patamar de 2013.

Porém nem todos os dados são negativos. O ticket médio aumento de R$ 790 no começo do ano para R$ 935 no terceiro trimestre, indicando que os consumidores estão preferindo a aquisição de modelos mais robustos. Por conta dessa mudança no perfil, a receita aumentou em 1.7%, chegando a 9,9 bilhões de reais.

{fonte}DigiTimes|http://www.digitimes.com/news/a20151217PD209.html{/fonte} 

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.