Lançamento da Vulkan atrasa, mas não falta muito

As APIs ganharam a atenção dos gamers, e muitos estão na expectativa do lançamento do DirectX 12 e, especialmente para os fãs de softwares abertos, a Vulkan. Parece, porém, que o Khronos Group tem uma "boa e uma má notícia" para aqueles ansiosos para ver o que a alternativa ao software da Microsoft tem para oferecer.

DirectX 12: entenda o que muda nos games com a nova API

O grupo que está desenvolvendo e fechando as especificações da API opensource afirma que está encontrando dificuldades para finalizar a versão 1.0 do software. Apesar de finalizadas as especificações, a etapa de testes com membros da aliança de desenvolvimento ainda não encerrou, e para garantir um lançamento mais estável o cronograma de lançamento para o final de 2015 não será mais seguido.

Para o famoso "a parte boa", o que nos resta de conforto é que as especificações já estão finalizadas e os testes já estão em uma fase avançada, o que significa que não falta muito para que a API seja publicada. A Khronos planeja liberar SDKs para Android, Windows e Linux, e ao longo de 2016 organizará eventos para divulgação e ensino do uso da API.  

A Vulkan é uma API de código aberto que chega com o objetivo de substituir o criticado OpenGL, principal API aberta atualmente. As principais novidades desse software são as instruções em baixo nível, possibilitando um acesso direto aos recursos do hardware. A API também tem como vantagem uma programação mais simples e suporte ao paralelismo de forma mais eficiente, significando que fará melhor uso de processadores multi-core e hardwares como chips gráficos. O softwares também incorpora muitos dos elementos da Mantle, uma API desenvolvida pela AMD. O grande diferencial da Vulkan é seu amplo suporte: ela será compatível com diversos chips gráficos e de processamento, além de diversos sistemas operacionais. 

- Continua após a publicidade -

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Você quer processadores da AMD com gráficos integrados

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.