CEO da Google defende aceitação de muçulmanos que querem morar nos Estados Unidos

O diretor executivo da Google, Sundar Pichai pediu mais tolerância com imigrantes nos Estados Unidos e fez um convite aberto aos muçulmanos em um post intitulado "Não vamos deixar que o medo derrote nossos valores". Essas publicações e discursos de CEOs de grandes empresas começou, de certa forma, depois que o candidato à vice-presidência dos EUA Donald Trump pediu a proibição de muçulmanos no país e teve a ideia de "acabar com a internet".

Donald Trump quer falar com Bill Gates para fechar a internet e parar o Estado Islâmico 

Em seu texto, Pichai não se referia a Trump pelo nome, mas fez uma referência à controvérsia, escrevendo: "Penso que devemos falar abertamente - principalmente aqueles de nós que não estão sob ataque. Toda pessoa tem direito às suas opiniões, mas também é importante que aqueles que são menos representados saibam que esses (em referência a Trump) não são os pontos de vista de todos."

"A mente aberta, tolerância e aceitação de novos americanos é uma das maiores forças do país e uma das características mais marcantes. E isso não é coincidência - a América, apesar de tudo, foi e é um país de imigrantes. É por isso que é tão desanimador ver um discurso intolerante jogando tudo isso fora - declarações que nosso país seria um lugar melhor sem as vozes, ideias e as contribuições de determinados grupos de pessoas, com base exclusivamente de onde eles vêm, ou sua religião. [...]"

- Sundar Pichai, CEO da Google

 

O próprio CEO executivo da Google, Sundar Pichai, é um imigrante. Ele nasceu em Madras, na Índia, e se mudou para os Estados Unidos para estudar. Além dele, Marck Zuckerberg foi outra figura icônica que repreendeu o discurso de Donald Trump.

{via}Tech Crunch|http://techcrunch.com/2015/12/11/sundar-pichai-tolerance/?ncid=rss{/via} 

Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.