Lucro da Black Friday no Brasil quebra recorde e algumas das grandes empresas são processadas

A Black Friday é um evento de promoções do comércio que tem o objetivo de trazer preços mais acessíveis e com descontos ao público, mas muitas lojas abusam da boa fé do consumidor e acabam dando a falsa impressão de que o desconto num determinado produto é maior do que poderia ser. O Procon-SP já havia liberado uma lista com sites a serem evitados e até criou a hashtag #deolhonaBlackFriday para ajudar a identificar lojas que maquiavam o desconto dos produtos, e muitos comércios foram multados, afinal. Segundo o E-bit, as lojas online passaram dos 90 milhões de reais de lucro, um valor maior do que foi arrecadado no ano passado.

No Rio de Janeiro, o Procon estadual também fiscalizou o preço de lojas e e-commerces. Algumas empresas como Submarino, Americanas.com, Hotel Urbano e NorteShopping apresentaram irregularidades nas promoções ofertadas. O órgão já estava há um mês monitorando a atividade de alguns comércios, e até metade do dia da Black Friday 23 estabelecimentos tinham sido punidos por gerar boletos mais caros ou enganosos. Segundo uma notícia do G1, o smartphone Samsung Galaxy Note 4 foi anunciado na Americanas.com ao preço de R$ 1.709,05 para o pagamento no boleto. Entretanto, quando o documento foi gerado, o valor era de R$ 1.803,99.

No Ceará, o Procon de Fortaleza fiscalizou 30 estabelecimentos e teve que atuar em 11 deles por fraudes em preços de produtos. Em uma das lojas, um ferro de passar roupa teve seu preço aumentado de R$ 157,90 para R$ 168,49! Isso já acontece desde 2013, quando uma pesquisa revelou que 21,5% dos produtos da Black Friday tiveram preços inflacionados.

O Adrenaline cobriu a Black Friday republicando algumas promoções interessantes para o consumidor, mas notamos que, em alguns sites, as empresas deixavam um desconto X na home e ao clicar no produto o preço não era bem o que dizia ser. O site Reclame Aqui também registrou muitas queixas na sexta de promoção, e até meio dia o número de reclamações chegou a 2.265.

A categoria de informática foi a que mais registrou reclamações, seguidas do setor de aparelhos smartphones, eletroeletrônicos e eletrodomésticos. E no ranking das regiões com mais compras, o Sudeste aparece em 1º lugar, seguido de Sul, Nordeste, Centro-Oeste e Norte.

Até às 22 horas de hoje, realizamos 1.142 atendimentos relacionados à Black Friday, os principais problemas...

Posted by Fundação Procon-SP on Sexta, 27 de novembro de 2015

E você, leitor? Comprou algo na Black Friday ou a sexta-feira deixou a desejar?  

{via}G1|http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/11/procon-rj-autua-sites-por-promocao-maquiada-na-black-friday.html|Procon-SP|http://www.procon.sp.gov.br/noticia.asp?id=3761{/via}

Assuntos
Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.