Engenheiros da AMD afirmam que as CPUs Zen serão feitas "do zero" e trarão saltos na peformance

 Enquanto os últimos não foram de grandes saltos na performance dos processadores, em um processo evolucionário, a próxima geração de processadores da AMD, baseados na microarquitetura Zen, tornou-se sua grande aposta para equilibrar o jogo com a Intel e reduzir o "gap" entre as duas empresas quando o assunto é poder de processamento. Em uma entrevista ao site My Statsman, Suzanne Plummer, umas das principais lideranças no desenvolvimento da microarquitetura, se mostrou bastante confiante na evolução que virá dos novos chips.

É a primeira vez em muito tempo que nossos engenheiros ganharam liberdade total para construir um processador 'do zero' e fazer o melhor que podemos. Isto é um projeto de vários anos com uma equipe realmente grande. É como uma maratona com alguns 'sprints' no meio. O time está trabalhando muito duro, e nós já conseguimos ver a linha de chegada. Eu garanto que vamos entregar uma grande evolução em performance e [baixo] consumo de energia sobre as gerações passadas".

-  Suzanne Plummer

- Continua após a publicidade -

Os núcleos Zen prometem um design de alta performance totalmente novo, capaz de oferecerem um número de instruções por clock até 40% maior do que os presentes na geração passada, codinome Excavator. A nova microarquitetura é baseada na tecnologia FinFET em 14 nanômetros escalonável, ou seja, será utilizada desde produtos mais simples voltados aos consumidores finais até servidores que demandam mais eficiência e performance.

Os processadores com o núcleo Zen trazem uma importante novidade: a Simultaneous Multithreading (SMT), que irá substituir a Clustered Multithreading (CMT), design de processamento presente na família de processadores Bulldozer. Esta atualização promete um considerável ganho de performance, explorando de forma mais eficiente os múltiplos núcleos do processador e o multithread.

Além do SMT, outra novidade importante é a introdução de um novo sistema de cache de baixa latência com grande largura de banda. Este elemento é vital para a performance de um processador com múltiplos núcleos que pretende explorar o mutithread de forma eficiente. Qualquer gargalo entre os recursos compartilhados entre estes núcleos representaria uma forte perda de desempenho. 

A AMD precisa de um bom desempenho em seus novos processadores. A empresa vem perdendo espaço para rivais como Intel no segmento de CPUs e, principalmente, a Nvidia no mercado de placas de vídeo. Além de uma recuperação com sua nova geração de chips Fiji, a AMD aposta no bom desempenho dos chips Zen para ganhar espaço novamente. Os processadores baseados nos núcleos Zen chegam ao mercado em 2016.

- Continua após a publicidade -

{fonte}My Statesman|http://www.mystatesman.com/news/business/amid-challenges-chipmnaker-amd-sees-a-way-forward/nngdf/{/fonte} 

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.