Taxistas fazem ato contra o Uber no Rio; no mesmo dia, app oferece viagens grátis

A disputa entre taxistas e o aplicativo Uber ganhou um novo capítulo no Rio de Janeiro, com uma série de protestos contra o aplicativo em diversas regiões da cidade. A classe trabalhadora questiona a legalidade do serviço e a concorrência desleal, já que os motoristas do Uber não pagam taxas ou passam por processos obrigatórios para o trabalho como taxista.

De acordo com Marcos Bezerra, presidente do Conselho Regional de Taxistas do Rio, os taxistas esperam reunir de 3 a 5 mil táxis ao movimento, que irá incluir profissionais de outras regiões do país. Ao longo do dia, os manifestantes bloquearam pistas em diversos locais da cidade, chegando a fechar completamente a Avenida Presidente Vargas em um dos sentidos, temporariamente, divulgou o G1.

Aproveitando o momento, o Uber lançou uma promoção direcionada aos cariocas. "O Rio Não Para" oferece duas viagens gratuitas de Uber das 7 às 19 horas dessa sexta-feira, com limite de custo de R$ 50 em cada uma. "Sabemos que hoje será um dia complicado para locomoção e para não deixar os cariocas sem opção, hoje, todos poderão utilizar a Uber para qualquer lugar da cidade", afirma a empresa através de um e-mail em que faz publicidade da promoção. Essa não é a primeira vez que empresa realiza algum tipo de oferta especial aproveitando momentos de confronto com taxistas, tática utilizada anteriormente em Belo Horizonte.

Além do conflito com taxistas no Brasil, o Uber enfrenta questões semelhantes em diversos países, chegando a ser proibido em diversos deles. Na França o serviço foi temporariamente suspenso após depredações a veículos e a prisão de dois executivos da empresa

O conflito
Uber é um serviço de "carona compartilhada" que possibilita que motoristas ofereçam deslocamentos pagos aos usuários da plataforma mobile. De acordo com o Uber, o aplicativo representa uma nova forma de transporte, democratizando o acesso à mobilidade. Também de acordo com a empresa, ela é responsável apenas pela tecnologia, não sendo dessa forma um equivalente a uma cooperativa de táxis ou uma empresa com motoristas como funcionários.

Na outra ponta estão os taxistas que alegam que sofrem concorrência desleal de um serviço equivalente, por não possuir nenhuma regulamentação ou controle por parte do estado.

- Continua após a publicidade -

Outra questão que vem causando controvérsia é a relação entre o Uber e seus motoristas. De acordo com a empresa, sua participação é apenas oferecer a plataforma que viabiliza a prestação do serviço, não criando vínculo nenhum com os motoristas. Porém, decisões judiciais já começam a considerar que há uma relação empregatícia entre o Uber e as pessoas que oferecem seus carros e prestam o serviço de motorista, para o transporte.

{via}G1|http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/07/taxistas-se-concentram-para-protesto-contra-uber-no-rio-aterro-e-fechado.html{/via} 

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Escolha sua arma:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.