Jogador de CS: GO admite "doping" e agências de e-Sports prometem endurecer a luta contra drogas

No início deste mês, Kory "Semphis" Friesen deu uma entrevista ao canal do Youtube Launders CStrike, onde ele admitiu o uso de drogas que melhoram a concentração, não só por parte dele, mas de todo seu time, em torneio recente organizado pela ESL. O entrevistador, visivelmente desconcertado com a confissão feita de maneira tão direta, informou que "todo mundo toma Adderall".


O jogador comenta o uso da droga aos 7:40, aprox.

Adderall, a droga que Friesen admitiu ter tomado para ajudar em sua concentração, é uma estimuladora de funções cognitivas geralmente usada no tratamento de transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH). No Brasil, a Ritalina é a droga mais conhecida no tratamento deste transtorno e ela é igualmente vendida ilegalmente sem a receita para pessoas procurando por um "doping" em sua concentração para a realização de trabalhos difíceis.

Testes de drogas completos nos eventos de e-Sports estão longe de acontecer, mas isso não significa que nós não deveríamos tentar enfrentar o problema.

Essa não é a primeira vez que um jogador profissional de e-Sports admite o uso de drogas para melhorar a concentração durante torneios, mas, até então, as confissões eram feitas de maneira anônima. Ter Friesen falando abertamente sobre o assunto, para a câmera, gerou uma comoção na área, que foi respondida pela ESL, uma das maiores agências de e-Sports do mundo e organizadora do torneio específico onde o jogador assumiu o uso de Adderall. Em sua resposta oficial ao Eurogamer, a organização informou que já esperava lidar com o uso do doping um dia:

- Continua após a publicidade -

"Nós sabíamos há um bom tempo que drogas de melhoramento de performance (PEDs) seriam um desafio que teríamos que enfrentar eventualmente, conforme o profissionalismo e as apostas cresciam na área dos e-Sports."

Para impedir o uso dessas drogas, entretanto, seria necessária a adoção de políticas específicas, como testes aleatórios em jogadores, que exigem não só planejamento, mas também, trâmites burocráticos, pelos quais as agências já estariam passando. Falando com a Wired, a ESL informou que:

- Continua após a publicidade -

"Enquanto isso é e vai continuar sendo sobre proteger a integridade de nosso esporte, coisas assim precisam ser feitas corretamente. Então é necessário ter uma política, um processo, um corpo regulatório, um sistema de apelo e mais não sei o quê - como em qualquer outro esporte. Nós estamos tomando os passos para nos nivelar com esportes tradicionais, e vai levar um tempo antes de qualquer organização de e-Sports administrar testes de drogas. Nós esperamos acelerar esse processo procurando ativamente conselhos das autoridades e começando pequeno. Testes de drogas completos nos eventos de e-Sports estão longe de acontecer, mas isso não significa que nós não deveríamos tentar enfrentar o problema."

{via}Eurogamer | http://www.eurogamer.net/articles/2015-07-22-esports-organisations-promise-tougher-drugs-rules-after-player-admits-doping{/via} 

Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.