Justiça do Texas torna a vida dos "trolls das patentes" mais difícil

Quem acompanha a indústria a algum tempo já viu brigas homéricas entre gigantes da tecnologia, como a Google e a Oracle acerca do uso do Java no Android, a Apple e a Samsung sobre cópia no design, a Microsoft teve que mudar o nome do SkyDrive para OneDrive e até a Gradiente "tretou" com a Apple. Porém, a briga por patentes as vezes chega a proporções sem sentido, pois principalmente nos Estados Unidos há uma liberdade muito grande para realizar o registro de ideias muito abstratas.

Os juízes da corte do Texas estão mudando procedimentos para dificultar a vida dos "trolls das patentes", indivíduos que patentearam ideias bastante abstratas e que entram com ações contra grandes empresas que, mesmo vagamente, implementaram realmente algum produto com uma lógica próxima.

Agora não bastará apenas a pessoa possuir uma patente. É preciso que o indivíduo que move a ação mostre um "caso consistente", provando que esta realmente sendo lesado com o roubo de sua ideia e que, mesmo que minimamente, a pessoa tinha o objetivo de desenvolver ou implementar o conceito patenteado.

Os juízes do Texas ainda não possuem jurisdição para transformar este procedimento em algo federal, porém já são um primeiro movimento para acabar com o problema crônico do "trolls das patentes". Empresas americanas reclamam da facilidade que indivíduos tem para mover ações praticamente sem embasamento algum, além de uma patente genérica. Por conta dos custos da defesa e o longo período que uma ação pode se arrastar até ser resolvida, muitas destas corporações preferem fazer um acordo e encerrar a questão de forma rápida e definitiva. 

{via}EFF|https://www.eff.org/deeplinks/2015/06/judges-texas-unfairly-impose-new-requirements-patent-defendants{/via} 

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.