Intel lança fundo de US$125 milhões para startups lideradas por mulheres e grupos minoritários

A Intel Capital, braço de investimento da fabricante de processadores, anunciou que está abrindo um novo fundo de US$125 milhões para o apoio de diversas startups. Em planejamento desde dezembro do ano passado, o CEO da empresa, Brian Krzanich explicou hoje que a verba está destinada para projetos liderados por mulheres ou minorias pouco representadas.

"Nós mudamos o jeito que fazemos as coisas aqui na Intel," disse Krzanich durante uma apresentação. Ele disse que a Intel praticamente mais que dobrou o número de colaboradoras neste ano e elas passaram a compor de 20% a 40% de sua força de trabalho.

A Intel Capital já distribuiu mais de US$50 bilhões no financiamento de mais de 1,400 empresas em 57 países. Lisa Lambert, vice-presidente e diretora de administração da empresa, foi rápida em afirmar que isso "não é só um programa social", afirmando que há diversas pessoas em grupos menores prontos para liderar companhias, porém sem oportunidade. "Temos a certeza de que, enquanto você busca diversos pontos de vista, irá ter melhores retornos. Diversos estudos afirmam isso."

Lambert afirmou que a iniciativa é uma tentativa de lidar com a falta de diversidade nas pequenas e grandes empresas de tecnologia. Lambert citou ainda que apenas 15% das empresas situadas nos EUA têm uma mulher em sua equipe executiva e menos de 1% das startups no Vale do Silício foram fundadas por investidores afrodescendentes ou latinos. As estatísticas mostram, também, que apenas 8% dos fundadores de empresas de tecnologia eram mulheres, e no Vale do Silício, esse número cai para 3%.

Entretanto, ao olhar para a força de trabalho dos EUA, Lambert afirma que os grupos em maior expansão vêm das comunidades latinas e afrodescendentes. "Como um todo, a indústria ainda pode melhorar," refletiu a executiva. "Também acreditamos que nós [a Intel] podemos melhorar, mas com certeza não somos os piores."

- Continua após a publicidade -

Assim que a Intel Capital começou a procurar por essas empresas nos últimos meses, Lambert descreveu que sua equipe encontrou mais de 100 companhias interessadas em apoiar o projeto, começando com o quarteto anunciado hoje. Essas startups também terão acessos a recursos da Intel para desenvolvimento de negócio, marketing global e outras soluções.

Entre as startups iniciais selecionadas pelo fundo estão a Brit + Co., fundada pela CEO Brit Morin, que lidera uma força de trabalho com aproximadamente 80% de mulheres, e a companhia de tecnologia para saúde CareCloud, com uma equipe com 56% mulheres e 50% minorias pouco representadas.

Além dos esforços dos novos fundos, Krzanich apontou outras iniciativas da empresa para que grupos pouco representados sejam incluídos na empresa até 2020. As movimentações incluem investimento de US$1 bilhão em diversos fornecedores assim como maior desenvolvimento do setor de educação K-12 para fortalecer a relação entre universidades e carreiras técnicas.

{via}CNet|http://www.cnet.com/news/intel-launches-125-million-fund-for-startups-run-by-women-minorities/#ftag=CAD590a51e{/via}

Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.