Watch OS traz novos recursos e mais independência ao Watch

O Watch ganhou mais funcionalidades e liberdade com a nova versão de seu sistema operacional, o Watch OS 2

As faces do Watch ganharam novos recursos, como a capacidade dos desenvolvedores desenvolverem novos "complications", pequenos widgets na tela inicial do Watch onde o usuário pode ver algumas informações básicas de algum app.

Outro recurso é a "viajem no tempo": girando o digital crowd, na lateral, você pode "avançar no tempo" e ver notificações baseadas nesta hora futura, facilitando o planejamento para o restante do dia.

O Watch também ganhou uma função noturna, atuando como um relógio de cabeceira enquanto está carregando, mostrando uma face com as horas e também trazendo a função de despertador.

- Continua após a publicidade -

A Siri ganhou uma série de melhorias em suas interações. Agora é possível dar instruções como "inicie um exercício de 500 calorias", ou "mostre um glance do Instagram", sendo que a assistente por voz irá trazer estas informações ou iniciar apps com estas instruções mais direcionadas. Também será possível interagir com gadgets dentro do ecossistema da Apple, como dar comandos para regulagem de aparelhos da casa, como luzes e termostato.

Mais liberdade
Na ponta dos programadores, agora o Watch poderá executar mais que do que somente a interface. A nova versão do WatchOS irá trazer ao gadget a execução da parte "lógica" do app, aumentando a responsividade de aplicativos rodando no relógio ao dispensar a comunicação e resposta do iPhone para execução de algumas ações.

Outra capacidade adicionada ao Watch é a possibilidade de responder a e-mails. Uma nova opção ao final de uma mensagem ativa a resposta, que pode ser ditada através da Siri. 

Watch OS 2 já está disponível para desenvolvedores. O update será gratuito a todos os donos do Watch, e chega entre setembro e novembro deste ano, junto com o Mac OS X El Capitan e o iOS 9

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.