Próxima geração de antenas usará grafeno e podem ser colocadas até mesmo em sua camiseta

Quando você imagina uma antena, possivelmente pensa em algo em metal e, se a recepção não for muito boa, um Bombril uma palha de aço na ponta dando uma forcinha final. A próxima geração de antenas, porém, podem deixar de lado os clássicos componentes metálicos e dar lugar ao grafeno, baseado em um material presente em lugares como no seu lápis.

Este material é um entrelaçado de carbonos de aproximadamente 1 átomo de espessura e, tem como principal vantagem, a facilidade de serem impressos em uma folha de papel - bem do jeito que você faz com um lápis. Se "espremidos" em um formato de tubo, sua capacidade de conduzir eletricidade aumenta em 50 vezes.

Estrutura em tubo 

 

O grafeno foi descoberto em 2003, sendo uma forma cristalina do carbono - e é nesta organização que ele se diferencia do grafite de seu lápis. Suas características mais interessantes são a resistência (superior ao do aço), seu visual transparente e sua alta condutibilidade de calor e eletricidade.

- Continua após a publicidade -

Enquanto seu uso não se massifica, sendo que o material é apontado como um possível sucessor do silício nos chips para computação, as antenas podem ser o primeiro uso em larga escala desta material. Há uma demanda por antenas compactas e flexíveis para dispositivos diversos, como outdoors de publicidade, roupas e até mesmo sensores em pneus de automóveis, por exemplo. Com o conceito de Internet das Coisas se popularizando, as antenas de grafeno podem garantir a conectividade para o mais diverso tipo de aparelho.

{via}CNet|http://www.cnet.com/news/that-next-gen-antenna-it-may-be-printed-right-onto-your-shirt/{/via}

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.