Lei de Moore completa 50 anos: veja infográficos sobre a principal profecia do mundo da tecnologia

Em meados de 1965, Gordon E. Moore fez uma previsão que se tornou o "primeiro chute certeiro" sobre o futuro da computação. Por nada menos que 50 anos, o "achômetro" do engenheiro que fundaria meses depois a Intel se tornou o paradigma da empresa e, desde então de muito do que é a evolução dos computadores. A fala que deu origem a "Lei de Moore" apareceu em um artigo publicado na Electronic Magazine, que vocês podem conferir neste link na íntegra (em inglês). Para quem não manja de inglês, aqui vai a tradução livre do trecho mais importante:

 A complexidade de componentes com custo mínimo vem evoluindo na taxa de dois [duplicando] por ano... Certamente em um curto prazo pode-se esperar que esta taxa se mantenha, e não aumente. A longo prazo, a taxa de aumento é mais incerta, porém não há razões para pensar que sito não irá se manter constante por um período de 10 anos. Isto significa que em 1975, o número de componentes por circuito integrado com custo mínimo será de 65 mil. Acredito que um circuito deste tamanho poderá ser feito em um único wafer.

- Gordon E. Moore, em um artigo entitulado Cramming more components onto integrated circuits

 


Traduzindo para algo mais simples, podemos dizer que Moore previu que os chips iriam dobrar o número de transistores todo ano, sem aumentar custos. O que era um palpite para 10 anos acabou virando uma realidade que perdurou por 5 vezes mais tempo. 

- Continua após a publicidade -

Depois, outra frase acabaria se tornando célebre e se confundindo com o conceito inicial. "A performance dos chips de processamento irá dobrar a cada 18 meses", muitas vezes confundida como a Lei de Moore, é na verdade um desdobramento do conceito inicial, dita pela primeira vez pelo executivo da Intel David House.

 

Evolução no número de transistores ao longo dos anos 

 

Há anos, porém, a Lei de Moore está a perigo: com a litografia dos chips em tamanhos cada vez mais absurdamente pequenos, cada ano vivemos na expectativa do dia em que não será possível reduzir o tamanho dos transistores o suficiente para manter a máxima de Moore como uma verdade. De qualquer forma, o co-fundador da Intel já acertou a profecia com uma margem e tanto.

Para comemorar os 50 anos do ótimo palpite de seu co-fundador, a Intel aplicou o ritmo de evolução da profecia de Moore a outras tecnologias, o resultado vocês conferem no infográfico abaixo:

- Continua após a publicidade -

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.