AMD apresenta excelente resultado com DX12 em novo teste de API do 3DMark

A AMD apresentou excelentes resultados na nova ferramenta de testes comparativos disponível no 3DMark. A 3DMark API Overhead Feature Test é uma extensão do aplicativo que permite a comparação entre diferentes APIs gráficas – Mantle, DirectX 12 e DirectX 11 – no mesmo PC. Os resultados iniciais são positivos com as placas de vídeo AMD, que oferece uma performance excelente com a nova API da Microsoft

Confira abaixo os resultados dos testes em diferentes categorias:

Eficiência de Hardware com DirectX 12

- Continua após a publicidade -

Inicialmente, o primeiro item analisado foi a capacidade crua do DirectX 12 em ampliar a taxa de transferência da GPU. Quanto maior for essa taxa, maior é a capacidade da placa de vídeo de colocar imagens de qualidade na tela. Durante os testes no novo recurso do 3DMark, o DX12 apresenta performance de 10 a 16 vezes maior do que sua versão anterior quando utilizado em placas de vídeo da linha Radeon R7 e R9

Desempenho-por-watt em APUs no DirectX 12

A AMD também realizou os testes de desempenho por energia consumida em APUs. Utilizando uma APU da série A, considerado um dos melhores Sistemas-em-chip para DX12, o ganho de desempenho foi de 511%. Em uma análise geral, cada watt consumido correspondia a seis vezes mais operações realizadas em comparação ao DirectX 11.

Desempenho com CPU multi-core no DirectX 12

- Continua após a publicidade -

A performance dos processadores multi-core com o DirectX 12 também melhorou. A nova API, em processadores como o AMD FX-8350. O aumento do desempenho em CPUs se deve a um novo recurso, chamado multi-threaded command buffer recording, que permite uma comunicação multi-núcleo entre o processador AMD FX e a placa AMD Radeon. Enquanto com o DirectX 11 o benefício não aumenta além de dois cores, o DX12 tem um aumento de quase 3 milhões de draw calls a cada core acrescentado. 

(via AMD Blogs)

Tags
amd
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Qual você acha melhor?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.