Samsung Brasil vai pagar R$10 milhões por acusação de assédio moral

A Samsung Brasil vai ter que pagar R$10 milhões por suspeita de praticar assédio moral coletivo em sua sede em São Paulo. O valor foi definido através de acordo feito em dezembro entre a empresa e o Ministério Público do Trabalho de São Paulo. Desse total, 5 milhões precisam ser destinados a campanhas publicitárias contra o assédio moral que devem ser veiculadas em emissoras de televisão, rádio e revistas a partir do próximo mês. A outra metade, deve ser doada para instituições de caridade.

De acordo com o Ministério Público do estado, foram registradas diversas denúncias de funcionários em 2013. Entre as reclamações estariam a cobrança de metas abusivas, castigos e xingamentos de colaboradores e jornadas de trabalho excessivas. Em um dos casos, um funcionário disse ter sido chamado de preguiçoso e burro durante uma reunião com executivos da empresa de toda a América Latina. Depois, teria sido solicitado a ele que fizesse um “projeto trabalhoso” dentro de um prazo praticamente impossível. Além disso, ele estaria trabalhando até meia noite e nos fins de semana.

Outra denúncia é de uma funcionária que disse ter sido demitida por "ser gordinha" com a desculpa de que “quem não tinha boa aparência não iria refletir uma boa imagem da Samsung”. Por fim, funcionários denunciaram que foram acusados de roubar a empresa durante uma auditoria.

A Samsung alegou que assinar o acordo não significa que ela esteja reconhecendo e assumindo “o assédio moral individual a quem quer que seja.” Ela disse, ainda, que respeita as leis e regulamentos de todos os países onde opera e se comprometeu a coibir todas as condutas “abusivas, intimidadoras, desrespeitosas e discriminatórias” entre sua equipe. Além disso, ela vai informar ao MPT todas as denúncias internas recebidas e as medidas adotadas para solucioná-las.

Caso a companhia não veicule a campanha contra o assédio moral ou não faça a doação a instituições de caridade, terá de pagar uma multa extra de R$5 milhões. Já caso as obrigações para acabar com os abusos não sejam cumpridas, a Samsung terá que pagar R$50 mil por trabalhador afetado.

- Continua após a publicidade -

{via}Exame|http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/samsung-brasil-e-multada-em-r-10-milhoes-por-assedio-moral{/via}

Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.