Mi 4 infectado era falsificado, afirma Xiaomi

A Xiaomi entrou em uma polêmica recentemente por conta de um relatório da Bluebox, empresa especializada em segurança em dispositivos móveis, afirmando que o modelo Mi 4 estaria trazendo instalado malwares. A empresa chinesa afirmou que, na realidade, o aparelho utilizado pela empresa de segurança era falsificado, comprado através de canais não oficiais da Xiaomi e portanto sem o software oficial da empresa.

Especialista da própria Xiaomi fizeram uma revisão nas imagens internas do smartphone, cedidas pela Bluebox, e concluíram que o aparelho possuía marcações diferentes das originais. O IMEI do aparelho também era clonado e está presente em outros produtos falsificados.

Para tentar contornar o problema das falsificações, a empresa chinesa afirmou que está desenvolvendo uma versão internacional de seu software de verificação de hardware, um app capaz de atestar a autenticidade de um produto. Para maior garantia, a empresa recomenda que os consumidores adquiram seus produtos através do site oficial ou parceiros autorizados.

A Xiaomi também rebateu a crítica da Bluebox à sua modificação no sistema, a MIUI, afirmando que seus software segue todas as normas do Android CDD e passa pelos processos de CTS, procedimentos utilizados para certificar a total compatibilidade de um aparelho com o sistema Android.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.