Apple Watch vai chegar em 9 países dia 24 de abril a partir de US$349

Enfim uma data para o lançamento do Apple Watch, anunciado em setembro. A Apple revelou hoje que vai iniciar a pré-venda online do seu smartwatch no dia 10 de abril e o produto estará disponível para compra em 9 países a partir do dia 24 do mesmo mês — o Brasil está fora da lista. A partir do dia 10/04, os consumidores já vão poder testar o Apple Watch nas lojas físicas da maçã. A versão Sport vai ser vendida a partir de US$349,00 e a versão clássica, de aço inoxidável, a partir de US$549,00. Esses valores são para os modelos com corpo de 38mm. Os de 42 têm um acréscimo de US$50,00. Enquanto isso, a versão ouro vai ser vendida por mais de US$10 mil.

Hoje foi a primeira vez que a Apple mostrou o Watch em funcionamento. Entre as principais novidades está a possibilidade de atender ligações e fazer pagamentos através do serviço Apple Pay. A bateria, uma das principais preocupações dos usuários de smartwatch e talvez um dos fatores para conhecermos o Apple Watch só agora, vai durar 18 horas, de acordo com Tim Cook. E o carregamento será feito através de um carregador magnético.


Apple Watch Sport

A companhia também mostrou como vão funcionar alguns aplicativos no vestível. Enquanto no Android Wear a maior parte dos apps de comunicação oferecem apenas a opção de ver determinada mensagem e responder a ela, o Apple Watch vai customizar para que o usuário tenha mais informações no pulso. Ele vai permitir navegar no Twitter e Instagram, pedir um táxi pelo Uber e acompanhar o trajeto do veículo e ver informações sobre o motorista e o carro. Também vai ser possível verificar câmeras de segurança da sua casa e certificar que o alarme está ativado e as portas fechadas através do alarm.com.

O Apple Watch vai precisar do iPhone para funcionar. Os dois vão poder conversar via Bluetooth e WiFi. Será obrigatório ter o aplicativo Apple Watch instalado no smartphone. Esse aplicativo já está vindo com a atualização 8.2 do iOS, liberada nesta segunda-feira. E quem não quiser usar o app, vai ter que se acostumar a ver o ícone no aparelho, pois não é possível desinstalar o software. 

- Continua após a publicidade -

Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.