Aplicativo The Catch faz pessoas se conhecerem ao estilo programa de encontros dos anos 60

Quando se trata de relacionamentos, as pessoas parecem tentar de tudo para criar recorrerem ao mundo virtual, seja com aplicativos para encontrar amantes em potencial com base em suas preferências por cannabis ou com anúncios no Facebook. Agora, mais uma opção entra no campo do amor online: um aplicativo que simula o programa de relacionamento dos anos 60 The Dating Game. O nome é The Catch e o prêmio está um passo adiante do Tinder: um encontro.

O aplicativo funciona da seguinte forma: a garota configura idade e localização, vasculha o perfil dos homens nas opções e convidam-os para participar do jogo. Os primeiros quatro a responderem "sim" viram os candidatos. A garota então lança três perguntas das quais os homens responderão, mas ela não saberá quem são os autores das respostas. Então, ela avalia as respostas, sendo a última questão sempre auto-preenchida: "Para onde você me levaria no nosso primeiro encontro?"

O vencedor é o cara que tiver o maior placar nas três rodadas, podendo entrar em contato com ela e automaticamente já indicar o encontro, considerando que os dois gostam da ideia do local, bastando apenas marcar a data. A ideia do aplicativo é agilizar os encontros, reduzindo a necessidade de vasculhar por perfis, lançarem conversas que não dão em nada e também dar uma chance aos caras que não são tão atraentes fisicamente, mas compensam em outros aspectos, como na conversa ou inteligência.

A fundadora do The Catch, Shannon Ong, diz que o diferencial deste aplicativo é que "as mulheres conseguem fazer as perguntas que são importantes para elas, e é colocada em um pedestal. Os caras não precisam passar muito tempo vasculhando perfis e sendo rejeitados." Na versão de teste alfa, pelo menos 20% dos jogos terminaram com pessoas indo à encontros, uma taxa provavelmente maior do que as conversas do Tinder.

- Continua após a publicidade -

No entanto, algumas pessoas podem achar a fricção extra do The Catch um pouco chata se comparar uma brincadeira de perguntas e respostas à julgar silenciosamente com um movimento de dedão. O app só está disponível na área da baia de São Francisco, mas a lista de espera o disponibiliza para o mundo todo, e promete facilitar com que duas pessoas estranhas tenham um encontro com um pouco mais de probabilidade de dar certo do que o Tinder. 

{via}TechCrunch|http://techcrunch.com/2015/02/12/swiper-no-swiping/{/via}

Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.