O alfabeto soletrado segundo o autocompletar do Google

Tem muita letra que, falada, parece com outra, como o "bê" que pode virar um "vê". Na hora de soletrar alguma palavra especialmente difícil, ou um sobrenome muito incomum, o jeito é apelar para o alfabeto de soletração, técnica dominada com maestria por Carla Perez.

Existem diversos padrões, mas o mais difundido internacionalmente é o alfabeto fonético da OTAN, que inclui os clássicos "A de Alpha" e "C de Charlie". Como foi criado lá nos idos dos anos 50, ele já está sentindo sua idade. Se alguém duvida de como a escolha das palavras "envelheceu mal", o "F" é de Foxtrot. Pra quem nem faz ideia do que seja Foxtrot, aí vai um trechinho:

E se modernizarmos o alfabeto fonético? Ninguém melhor que a Google, empresa com a quantidade mais absurda de dados sobre nossas vidas e como as pessoas associam palavras, para definir qual é a palavra mais chamada baseada na primeira letra. As marcações "Global Dominance" indicam palavras que surgem no autocompletar de diversas versões do mecanismo do Google, em línguas diversas, como "A de Amazon" ou "F de Facebook". A pesquisa foi montada pela Host Advice, site especializado em compara preços e serviços de hospedagem para sites.

 O interessante do gráfico é que a versão .br do Google ficou dentro também, mas criou algumas anomalias curiosas como o "J de ClickJogos". A "fezinha" dos brasileiros ganha destaque, como "L de lotéricas" ou o "Q da Quina".

- Continua após a publicidade -

{fonte}Host Advice|http://hostadvice.com/blog/phonetic-alphabet-according-google/{/fonte}

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.