Periférico de US$ 34 para smartphones com Android ou iOS permite fazer teste de HIV em 15 minutos

Pesquisadores da Universidade de Columbia desenvolveram um periférico para smartphones com sistema Android ou iOS, que permite realizar testes de HIV e sífilis em apenas 15 minutos. O dispositivo custa US$ 34 (R$ 95) se conecta ao aparelho através da entrada para fones de ouvido. Por isso, também funciona se conectado a tablets, notebooks e outros gadgets.

Para fazer o teste, o periférico só precisa tirar uma gota de sangue do dedo do usuário. Ele então faz um teste que imita o Ensaio Imunossorvente Ligado à Enzima (ELISA, na sigla em inglês). O dispositivo também testa para a presença do anticorpo específica contra a bactérica do gênero treponema, que causa a sífilis, além de verificar se o usuário tem sífilis ativa.

Não há nenhum laboratório no mundo que realize os 3 testes desta maneira, num formato único. Sem contar que as máquinas que realizam o teste ELISA custam cerca de US$ 18 mil (cerca de R$ 50 mil, em conversão direta). Claro que elas são mais eficientes no diagnóstico do que o periférico para smartphones. Mesmo assim, em artigo publicado na Science Translational Medicine, os pesquisadores disseram ter obtido "desempenho de diagnóstico quase tão bom" quanto o que se tem com a caríssima máquina.

O dispositivo foi testado em Ruanda, país da África Central. O grupo de testes consistiu de 96 pacientes, a maioria vindas de clínicas que previnem a transmissão do vírus da AIDS de mães para as suas crianças, que pode acontecer no nascimento. A parte ruim é que o aparelho ainda não está perfeito, e identificou algumas pacientes como infectadas, quando na verdade elas não estavam. Os criadores do periférico disseram que vão trabalhar para melhorar a sua precisão antes de um teste de maiores proporções.

{via}Engadget|http://www.engadget.com/2015/02/06/hiv-smartphone-dongle/{/via}

Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.