Vice-presidenta da Sony Pictures deixa o cargo dois meses após o hack da empresa

O hack da Sony Pictures pode não ter impedido o filme A Entrevista de ser lançado, mas teve outras consequências: segundo o portal de notícias cinematográficas Deadline, o estúdio divulgou que sua vice-presidenta, Amy Pascal, está deixando seu cargo. A vice-líder trabalhava na empresa desde os anos 80, enquanto ainda se chamava Columbia Pictures. Durante seu comando, a Sony teve 95 filmes atingindo o primeiro lugar desde 2000.

As razões para o pedido de mudança de cargo estão diretamente relacionadas aos ataques de informações sofridos pela Sony Pictures em novembro. O grupo hacker Guardians of Peace invadiu os servidores da empresa e roubou informações pessoais de empregados atuais e antigos, incluindo atores e diretores famosos. Outras ações danosas do grupo correspondem ao vazamento de filmes inéditos e impedimento ao acesso do servidor.

Entretanto, Pascal não deixa o cargo por razões administrativas: juntamente com as informações hackeadas, foram publicadas conversas por e-mail onde a vice-presidente e outros executivos trocam mensagens vergonhosas e preconceituosas envolvendo Barack Obama, Kevin Hart e Denzel Washington. Além disso, as mensagens revelavam as drásticas diferenças entre salários de atores e atrizes.

Entretanto, a ação não era inesperada para os membros da empresa nem para o meio cinematográfico. Amy Pascal será redirecionada para um cargo de produção interno em maio, envolvendo-se com a criação do novo filme do Ghostbusters, bem como os próximos títulos da série Amazing Spider Man. Curiosamente, o antigo presidente da Sony, Matt Tolmach, foi redirecionado para cuidar da mesma franquia ao deixar o cargo.

{via}Engadget|http://www.engadget.com/2015/02/05/sony-pictures-amy-pascal/{/via}

Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.