Com a "neutralidade da rede", governo americano quer transformar banda-larga em utilidade pública

O presidente da Comissão Federal de Comunicações (FCC) dos Estados Unidos, Tom Wheeler, anunciou hoje o apoio de uma internet aberta ao invocar a autoridade do Título II da agência, que tratará a internet banda-larga da mesma forma que uma utilidade pública, como o telefone. A nova lei irá banir a priorização paga, que permite empresas cobrarem para acessos mais rápidos, assim como a lentidão de "conteúdo da lei e serviços públicos". As leis serão aplicadas também ao mercado mobile, que não recebia alterações desde 2010.

Em um editorial da Wired, Wheeler afirmou que as empresas operadoras de banda-larga têm interesse em manipular a rede em prol de seus interesses, mas isso pode prejudicar os usuários. O presidente aponta também que o crescimento da internet seria muito diferente se a FCC não disponibilizasse acesso a equipamentos de rede nos anos 60.

Para exemplificar o interesse das empresas no controle da internet, Wheeler contou sua experiência enquanto chefiava seu próprio negócio, a companhia NABU, que oferecia internet a cabo de alta velocidade durante os anos 80, porém chegou a falência pelo fato dos acessos à redes dependerem de empresas operadoras de linha. Durante o mesmo período, a AOL teve sucesso por tirar vantagem de redes de telefone aberto, mesmo sendo uma conexão muito mais lenta. "A abertura da rede por telefone não aconteceu por acidente, mas por uma lei da FCC", ele acrescenta.

Enquanto Wheeler estava se baseando parcialmente numa seção do Ato de Telecomunicações de 1996, focando-se na "razoabilidade comercial" para manter uma internet aberta, ele mudou de ideia por se preocupar que o ato protegeria mais as empresas do que os consumidores. "Minha proposta garante o direito dos usuários de internet a irem onde quiserem, quando quiserem, e o direito dos inovadores de inserirem novos produtos sem pedir permissão de ninguém. Tudo isso pode acontecer enquanto apoiarmos o investimento em redes banda-larga."

A decisão do FCC veio após o presidente Barack Obama declarar, em novembro do ano passado, que a internet deveria ser tratada como serviço público – uma ação amplamente criticada pelas empresas de telecomunicações americanas. Na semana passada, a agência também quadruplicou a velocidade mínima de banda-larga para 25MBp/s (com taxas de upload chegando a 3MBp/s). As decisões não afetarão de imediato os usuários de internet nos Estados Unidos, porém irão estabelecer normas para o segmento privado restringir menos o acesso dos cidadãos estado-unidenses.

{via}Engadget|http://www.engadget.com/2015/02/04/fcc-net-neutrality/{/via}

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Qual a sua marca de headphones/headsets para jogos preferida? - Pesquisa de Periféricos 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.