Conheça quatro placas-mãe ASUS clássicas para os PC Builders dos anos 90

Surgindo em 1989 e entrando no segmento de computadores com a produção de placas-mãe, a ASUS está há 26 anos no mercado. Como resultado, sua linha de produtos para PCs possui momentos marcantes em toda a história e hoje a empresa é um dos grandes nomes do setor, recentemente atingindo a marca de 500 milhões de mainboards vendidas no mundo todo. Por isso, vamos conferir quatro dos hardwares clássicos da companhia nos anos 90:

1994: ASUS PCI/I-486SV2

• Socket 3
• Suporte à CPU 486DX
• Chipset 420ZX

Antes mesmo da Intel lançar a linha Pentium que existe até hoje, as placas com Socket 3 deram suporte à quarta geração de CPUs x86, dos tipos SX e DX (e vários upgrades Overdrive). O chipset "Saturn II" (ZX) exibido na mainboard acima foi o último da geração 486, adicionando suporte à PCI 2.1.

- Continua após a publicidade -

Essa era uma mainboard topo de linha na época, com suporte a memórias SIMM de 72-pin (ao invés de 30) que precisava ser instalada em pares – a DDR dual-channel só apareceu em 2006 – e com SCSI de 50-pin, somada ao chipset Intel 420ZX. O formato AT e conector de energia precederam os modelos de placa-mãe ATX que vemos hoje.

1996: ASUS P55T2P4D


• Dual Socket 5
• Suporte a dois CPUs Pentium
• Chipset Intel 430 HX

- Continua após a publicidade -

Outra placa-mãe high-end e para workstations, a P55T2P4D oferecia suporte a dois CPUs Pentium simultaneamente, embora o formato multi-núcleo fosse uma implementação limitada na época do Windows NT. Como é possível observar, o formato total AT era grande, com o slot marrom abaixo dos soquetes de CPU destinado à cache L2 compartilhado, muito antes deste recurso ser integrado ao espaço dos processadores. Também há vários slots PCI 2.1, junto com uma inovação da ASUS no período: a extensão que combinava gráficos PCI e som ISA em uma placa só, juntamente com os slots ISA (pretos) e E-ISA (marrons).

1997: ASUS XP5NP5

• Socket 8
• Suporte à CPU Pentium Pro
• Chipset Intel 440FX 

Um ano depois, a Intel lançou seu primeiro CPU voltado especificamente para servidores e workstations, dividindo as séries de consumidores e profissionais no que eventualmente se tornaria Pentium e Xeon. O Pentium Pro tinha Socket 8 único, na qual sua forma larga fornecia espaço suficiente para que o núcleo do processador e o chip de cache ficassem próximos. O custo desse design era alto para a época, e por isso o produto era reservado para as máquinas que precisavam de mais performance; o design também foi precursor do Xeon.

Na placa XP5NP5 nós encontramos um conector de força ATX 20-pin e uma série de conectores IO traseiros integrados. Anteriormente, estes itens estariam em uma placa ISA. O formato com a CPU no topo é algo que se aproxima do que vemos hoje, juntamente com a extensão gráficos/som integrada. 

1999: Linha ASUS P3B

• Slot 1
• Suporte à CPU Pentium II
• Chipset Intel 440BX

Precedida da série popular P2B, a série ASUS P3B estabeleceu novos parâmetros com suporte para gráficos acelerados e slots DIMMs SDR. Com um dissipador verde na ponte norte e um componente rosa nas portas paralelas, esta linha começa a se tornar mais próxima dos modelos ATX tradicionais. O produto ainda contava com inovações, como um LED indicador de standby e botões DIP para facilitar o overclocking.

(via ROG

Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.