Blackberry pretende obrigar desenvolvedores a fazerem aplicativos para o seu sistema

O CEO da Blackberry, John Chen, entrou em contato com o congresso norte-americano para implantar a lei de "neutralidade de apps", que obrigaria os desenvolvedores a fazerem aplicativos para todos os sistemas operacionais de smartphones. A investida foi dada devido ao pequeno número de apps feito para o OS da Blackberry, enquanto lojas como a Play Store e App Store, que contam com milhões de aplicativos.

Em uma carta enviada para o congresso, Chen pede que todos os usuários de smartphones devem ter acesso a conteúdo e aplicativos, não importa qual seja o sistema operacional utilizado. O CEO da Blackberry citou a Netflix, que é a favor de causas como a neutralidade de rede, mas disponibilizou seu aplicativo apenas para Android e iOS.

Chen também citou o fato de compartilhar aplicativos do sistema Blackberry com o Android e o iOS, enquanto o contrário não acontece:

"Ao contrário da BlackBerry, que permite que usuários do iPhone possam baixar e usar o serviço de mensagem BBM, a Apple não permite que usuários do BlackBerry ou Android façam o download do serviço de mensagens iMessage"

- John Chen, CEO da Blackberry


- Continua após a publicidade -

 Segundo John Chen, o fato do Android e o iOS terem um número maior de  aplicativos do que outros sistemas é uma discriminação e a neutralidade deve ser mantida para criar "uma internet livre, aberta e sem discriminações".

{via}Forbes|http://www.forbes.com/sites/erikkain/2015/01/22/blackberry-ceo-to-congress-make-blackberry-apps-mandatory/{/via} 

Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.