Estados Unidos aplicam sanções contra a Coreia do Norte sobre os ataques à Sony

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou um documento autorizando sanções contra a Coreia do Norte, em resposta ao ciberataque contra a Sony e às ameaças contra os cinemas dispostos a exibir "A Entrevista". Anteriormente, a Casa Branca declarou publicamente que a invasão aos servidores da empresa era uma questão séria de segurança nacional e considerava uma resposta proporcional. Segundo a BBC News, Esta é a primeira vez em que o governo americano sanciona algum país por atentados virtuais à uma entidade privada.

Em uma publicação no seu site oficial, a Secretaria do Tesouro Público Americano declarou que o presidente Obama assinou uma ordem executiva que autorizava sanções contra a Coreia do Norte, em resposta às "numerosas provocações" realizadas pelo governo norte-coreano. O objetivo é "fazer os norte-coreanos tomarem consciência das consequências de seus atos desestabilizadores, destrutivos e repressivos, além dos esforços para enfraquecer a segurança virtual dos Estados Unidos." O governo americano também disse que tal medida é uma resposta às ameaças realizadas contra as empresas e artistas do país e suas respectivas liberdades de expressão.

As sanções aplicadas atingirão três entidades e dez indivíduos "por serem agentes ou oficiais do governo norte-coreano", que terão acesso negado ao sistema financeiro americano e os proibirão de realizar qualquer tipo de transação e negociação comercial dentro do país. 

Anteriormente, Hackers com supostas conexões à Coreia do Norte invadiram os sistemas da Sony e roubaram arquivos, então tentaram chantagear a Sony para que o filme "A Entrevista" fosse retirado do ar. A controvérsia do filme está na história, que contém um plano para assassinar o líder norte-coreano Kim Jong-Un. Enquanto a produtora originalmente aceitou as demandas, o filme acabou sendo lançado sobre pressão tanto nos cinemas quanto online.

É interessante notar que há um número de entidades que estudaram o caso e que acreditam que as conexões entre os ciberataques e a Coreia do Norte são infundadas, com um autor totalmente diferente. O acesso à internet do país, por exemplo, está limitado à 1.024 endereços de IP, e embora o próprio governo americano não acredite que os norte-coreanos tenham lançado o ataque, o FBI continua investigando, sem descartar a hipótese da invasão ser realizada por terceiros à mando do país.

- Continua após a publicidade -

{via}Neowin|http://www.neowin.net/news/us-sanctions-north-korea-over-the-sony-hacks{/via} 

Tags
  • Redator: Gabriel Daros

    Gabriel Daros

    Redator da Adrenaline que teve contato com hardwares desde quando viu seu pai montar um tal "PC gamer" aos oito anos de idade. Escreve notícias sobre internet, tecnologia e jogos, cujo primeiro contato foi com um SNES aos sete anos. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 2013.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.