Assista a um homem que teve os membros amputados controlar dois braços robóticos com a mente

Les Baugh perdeu seus dois braços hÁ aproximadamente 40 anos, mas recentemente ele teve a chance de fechar as mãos e segurar objetos novamente, usando duas próteses robóticas controladas pelo seu pensamento. Os braços mecânicos estão sendo desenvolvidos pelo laboratório de física aplicada Johns Hopkins e se chamam Modular Prosthetic Limbs (MPL: membros protéticos modulares).

Para realizar o movimento dos braços, os cientistas do laboratório mapearam o cérebro de Baugh e gravaram os sinais enviados por ele para cada movimento de músculo que resultaria no movimento de seus braços em condições normais. Depois eles programaram os braços mecânicos para reagirem a esses sinais. O resultado é impressionante. A tecnologia ainda não permite que o usuÁrio consiga realizar mais de um movimento ao mesmo tempo no braço, causando um efeito bem robótico, mas Baugh foi o primeiro teste a conseguir mover os dois braços ao mesmo tempo.

Por enquanto os MPL funcionam apenas no laboratório, mas os pesquisadores pretendem desenvolver uma versão que Baugh possa levar para casa e usar no seu dia-a-dia, além de possibilitar a fabricação de outras versões para o público em geral, é claro.

Quem estÁ lendo essa notícia e imaginando um possível uso militar para uma tecnologia assim, saiba que não estÁ paranoico. A pesquisa é financiada pela DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency), a agência de pesquisas avançadas em robótica e tecnologia dos militares norte-americanos.

Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Em um remake, você quer:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.