Projeto Maelstrom é o plano do BitTorrent para mudar nossa forma de acessar a internet

O BitTorrent fez a sua fama com um eficiente aplicativo para uso de torrents, e vem buscando usar sua experiência na Área para ampliar seus negócios para algo além da distribuição de arquivos com direitos autorais entre usuÁrios. A nova investida da empresa é o Project Maelstrom, que possui um plano ambicioso: modificar a nossa forma de acessar a internet.

Atualmente, o jeito mais comum de "navegar na internet" é o bom e velho HTTP. Com identificadores universais (as URLs) acessamos os conteúdos, o que inclui esta notícia, disponível pela URL https://adrenaline.com.br/2014/12/11/31184/projeto-maelstrom--o-plano-do-bittorrent-de-mudar-nossa-forma-de-acessar-a-internet. Para o sistema funcionar, ele precisa ser centralizado em um servidor, sendo que toda vez que você acessar esta notícia, estÁ passando por um conjunto de hamsters presos em cadeia correndo na mesma direção de computadores potentes encarregados de armazenar os conteúdos do Adrenaline.

O plano do BitTorrent é acabar com este modelo, e substituir pelo método descentralizado e cooperativo das conexões peer-to-peer (ponto-a-ponto). Ao invés de um servidor, as informações são repassadas de um computador para outro, o que evitaria que caso acabasse o alface do hamsters os computadores que atuam como servidores apresentassem problemas de funcionamento, o site caia.

Este tipo de solução jÁ é oferecida através de outros serviços, como o Sync, utilizado para compartilhar arquivos de grande porte entre usuÁrios,o Bundle, para que produtores de conteúdo vendam e distribuam suas produções e o Bleep, um serviço de mensagens.

Além da maior velocidade e estabilidade do serviço, para alguns a opção pelo peer-to-peer envolve privacidade. É mais difícil monitorar a atividade de um usuÁrio em uma rede descentralizado, pois não hÁ servidor fixo onde os dados ficam.

Para participar do Projeto Maelstrom, basta se inscrever gratuitamente através deste link. Além de implementar o serviço, o desafio da equipe do BitTorrent serÁ encontrar formas de rentabilizar suas novas plataformas. "No momento nosso time estÁ focado em construir a tecnologia. Estamos estudando modelos de negócio na medida que desenvolvemos, da mesma forma como fizemos com o Sync. Mas nós tratamos pÁginas de internet da mesma forma que outros browser fazem. Neste sentido eles podem conter qualquer conteúdo que eles desejam", afirmou o CEO do BitTorrent, Eric Klinker, ao TechCrunch.

- Continua após a publicidade -

{via}TechCrunch|http://techcrunch.com/2014/12/10/bittorrent-maelstrom/{/via}

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.