CNB e-Sports Club investe em novos talentos


HÁ 13 anos, quando surgia como uma equipe de "Counter-Strike", o CNB e-Sports Club tinha apenas um objetivo: se divertir. Com os bons resultados chegando e as mudanças na direção da equipe, o hobby começou a virar papo sério e a se profissionalizar. Mais de uma década se passou e, hoje, a equipe é referência na disseminação do e-sport no Brasil, contando com o patrocínio da HyperX para este novo tipo de esporte.

Numa conversa com o Adrenaline, o diretor operacional da equipe, Cleber "fuzi" Fonseca, falou um pouco sobre os desafios da prÁtica no Brasil e o novo projeto do CNB - o #ConfiaNosBr.

Adrenaline - De onde surgiu a ideia de investir em novos talentos?

Cleber Fonseca - O CNB existe desde 2001, quando nada era tão desenvolvido como hoje e, desde essa época, o Brasil sempre se figurou entre os melhores do mundo em diferentes modalidades dos e-sports.  Por essa vivência, sabemos do potencial dos brasileiros nesse segmento e achamos que, agora, não vai ser diferente. O problema é que, nos últimos tempos, poucos jogadores amadores tiveram a oportunidade de mostrar serviço e, com um crescimento acelerado da modalidade League of Legends, outros times no Brasil e no mundo optaram por um resultado mais rÁpido e contrataram jogadores da Coreia do Sul, tirando ainda mais a oportunidade para novos jogadores. Indo um pouco contra essa tendência, resolvemos apostar em novos talentos brasileiros.

A - Esses novos jogadores jÁ estão formando um time profissional? Quando irão participar da primeira competição?

- Continua após a publicidade -

CF - Foi feito uma seleção para identificar jogadores com o perfil para se tornarem cyber-atletas de alto rendimento e, a partir do momento que esses novos jogadores aceitaram participar do CNB, eles se tornaram profissionais, tendo que vir morar em nosso Centro de Treinamento em São Paulo e se adequando à rotina que desenvolvemos para que eles evoluam a cada dia. A primeira competição serÁ agora dia 16 de Novembro, a qualificatória da Intel Extreme Masters San José, que também servirÁ para classificar as 8 melhores equipes para a temporada brasileira de 2015.

A - O que essa nova websérie #ConfiaNosBr irÁ abordar? 

CF - ApresentarÁ e contarÁ um pouco da história de cada um dos novos Blumers [apelido dos jogadores da CNB], mostrando também a transição e as diferenças entre ser um jogador amador e um cyber-atleta profissional.

A - Quais as habilidades necessÁrias para se tornar um cyber-atleta profissional? 

- Continua após a publicidade -

CF - Além de conhecer muito bem o jogo e estar nas melhores ligas, como Desafiante e Mestre, um cyber-atleta precisa de muita dedicação, comprometimento, saber trabalhar em equipe, aprender com os erros e ter postura profissional em relação à sua imagem pessoal.

A - E para os cyber-atletas que estão começando agora, você tem algumas dicas? 

CF - A dica é jogar o mÁximo que conseguir (sem deixar que o game atrapalhe na vida pessoal) e, principalmente, tentar disputar todos os campeonatos amadores online e ir ganhando experiência.

Para acompanhar a trajetória dos novos cyber-atletas, fique de olho na websérie do CNB!

Tags
  • Redator: Luiz Menezes

    Luiz Menezes

    Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina desde o segundo semestre de 2012 e gamer desde 1999, quando teve a oportunidade de jogar "Adventure" no Atari (mesmo não passando nem da segunda fase). Hoje é estressado com o Xbox 360 e com os ADCs noobs que sempre feedam o Draven. Trabalha na Adrenaline por causa da paixão por games e porque precisa de dinheiro para comprar consoles novos.

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.