Presidente da Nintendo está considerando acabar com as travas por região de seus consoles

O atual presidente da Nintendo, Satoru Iwata, disse, em pronunciamento na sessão de perguntas e repostas com os investidores, que a empresa deveria dar um passo para frente e acabar com as travas de região de seus consoles e portÁteis. De acordo com um post do NeoGAF, ele ainda explicou que essa mudança na política da empresa só traria benefícios.

"A trava de região existe por causa das circunstâncias nas quais os lados dos vendedores de jogos vem antes do lado dos consumidores. Essa é a situação atual na história dos videogames. Porém, nós deveríamos estar vendo o futuro; se destravar os consoles for um benefício para os consumidores, então também serÁ um benefício para nós", pronunciou Iwata. Bem que CEOs de algumas empresas de games podiam aprender com ele, não é?

Porém, o presidente explicou que a mudança na política não serÁ fÁcil e que, para ocorrer o destravamento, serÁ necessÁrio resolver vÁrios problemas. Lembrando que a Nintendo sempre teve o travamento por regiões em sua política para limitar a importação de software de diferentes regiões e também para poder lançar games no Japão meses antes do que na América do Norte e Europa.

Se formos parar para pensar que a Nintendo tem lançado alguns games mundialmente (em todas regiões ao mesmo tempo) e que o Xbox One e o PS4 jÁ possuem destravamento, estÁ mais do que na hora da BigN fazer alguma coisa a respeito.

Via Eurogamer

Tags
  • Redator: Luiz Menezes

    Luiz Menezes

    Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina desde o segundo semestre de 2012 e gamer desde 1999, quando teve a oportunidade de jogar "Adventure" no Atari (mesmo não passando nem da segunda fase). Hoje é estressado com o Xbox 360 e com os ADCs noobs que sempre feedam o Draven. Trabalha na Adrenaline por causa da paixão por games e porque precisa de dinheiro para comprar consoles novos.

Um dos maiores hypes dos games chegou. Como você vai em Cyberpunk 2077

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.