KaBuM! fala sobre o Campeonato Mundial de League of Legends e como estão as preparações

Depois de vencer o Campeonato Brasileiro de "League of Legends", a KaBuM! e-Sports tinha que derrotar a latino-americana PEX Gaming para conseguir entrar para a história dos games sendo a primeira equipe brasileira a disputar o Mundial. E foi o que aconteceu: com uma vitória por 3 a 0, a KaBuM! estÁ entre os melhores times do mundo e vai para Seul, no dia 18 de setembro, para disputar a taça.

Conversamos com a equipe novamente, dessa vez para saber como estão as preparações para o Mundial, agora que os campeões do ano passado - a equipe coreana SKT T1 K - não conseguiram se classificar.

Adrenaline: Hoje em dia, pra vocês, qual a principal vantagem que as equipes internacionais têm sobre as equipes nacionais?

KaBuM!: O cenÁrio internacional estÁ consolidado hÁ um período maior, com ligas e muitos campeonatos, além de contar com muitos times que possuem boa estrutura. Quase todos os times do Mundial jÁ estão na Coreia treinando e isso dÁ uma vantagem muito boa de preparação.

A: Se vocês pudessem classificar uma outra equipe brasileira para disputar o mundial, qual seria e por quê?.

- Continua após a publicidade -

K: Atualmente no Brasil temos quatro equipes que estão em um nível muito semelhante, por isso, acreditamos que qualquer uma que tenha capacidade de vencer o Campeonato Brasileiro pode representar bem o Brasil no Mundial, porém não temos uma preferida. Mas, se fôssemos escolher alguma, ficaríamos com o KaBuM! e-Sports novamente! Rs...

A: Se vocês ganharem o mundial, o que farão com o prêmio?

K: A maioria dos jogadores de e-Sports acaba utilizando parte do seu dinheiro com viagens, investimentos, etc. Mas a maior parte sempre guarda para futuras faculdades ou estudos. Aí fica a critério de cada um.

A: Qual jogador hoje em dia é uma grande inspiração para vocês?

K: O jogador que sempre inspirou o nosso time é o Faker, mas infelizmente o time dele (SKT T1 K) não vive uma boa fase e sequer participarÁ do Mundial. Porém, as jogadas que ele fez no Mundial do ano passado ficaram marcadas em todos e nos trarÁ inspiração.

- Continua após a publicidade -

A: Agora que a SKT Telecom T1 - atual campeã - estÁ fora do Mundial, qual o time que vocês mais querem enfrentar?

K: Sabemos que os times mais difíceis serão os coreanos, principalmente por serem da região mais temida dentro do LoL. Por um lado, seria muito difícil jogar contra eles, mas, ao mesmo tempo, serÁ um aprendizado muito bom, além de uma honra poder enfrentar os melhores jogadores do mundo. Então, atualmente, os dois times da Samsung são os nossos preferidos.

A: Ainda sobre a desclassificação da SKT, e lembrando que os outros campeões passados - Fnatic e Taipei Assassins - estão no Mundial, qual a equipe mais forte?

K: Não temos muitas informações sobre a região que o TPA joga, porém acompanhamos muito o cenÁrio europeu e a Fnatic sempre cresce muito em campeonatos decisivos e presenciais, além de contar com jogadores muito fortes individualmente como "Rekkles" e "xPeke".

A: Nas redes sociais, muitas pessoas falaram que vocês ganharam da PEX naquele Barão que roubaram na primeira partida. A PEX parou de jogar depois daquela virada?

K: De fato, aquele foi o ponto chave da primeira partida e contribuiu e muito para uma possível virada, porém não acredito que isso tenha afetado tanto nas outras partidas. Nosso time teve um primeiro jogo um pouco nervoso, mas melhorou muito após as conversas de estratégias para a segunda e terceira partidas.

A: O treinamento para o Mundial vai ser diferenciado? Se sim, como?

K: Estamos estudando a possibilidade de ir para algum lugar para treinar antes do Mundial, porém nada concreto ainda. Por enquanto, estamos em nossa Gaming House, em Limeira (SP), treinando com times brasileiros e estudando todas possibilidades possíveis.

A: Vocês acreditam que a participação de vocês no Mundial vai aumentar a atenção dos brasileiros para o e-Sport?

K: Toda nossa jornada até o Mundial jÁ proporcionou uma atenção maior dos brasileiros. A grande final no Maracanãzinho, nossa ida para Seattle, aparições em programas de TV, grandes jornais, revistas e portais de internet, colaboraram de forma positiva para o e-Sports em geral.

A: Quais as chances de vocês no Mundial?

K: Por termos jogado com times de fora apenas na WCG, que ocorreu na China no ano passado com outra lineup, nós estamos indo sem muita noção de qual serÁ nosso nível diante dos times internacionais. Esperamos poder evoluir o mÁximo possível para chegarmos bem preparados e fazermos boas partidas; caso isso aconteça, poderemos surpreender.

A: Qual a sensação de ser a primeira e única equipe brasileira a disputar um Mundial?

K: A melhor sensação possível! Nós treinamos muito para chegarmos onde estamos hoje em pouco mais de um ano de equipe, com certeza isso foi fruto de toda dedicação dos jogadores que estão e passaram por aqui.

Tags
  • Redator: Luiz Menezes

    Luiz Menezes

    Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina desde o segundo semestre de 2012 e gamer desde 1999, quando teve a oportunidade de jogar "Adventure" no Atari (mesmo não passando nem da segunda fase). Hoje é estressado com o Xbox 360 e com os ADCs noobs que sempre feedam o Draven. Trabalha na Adrenaline por causa da paixão por games e porque precisa de dinheiro para comprar consoles novos.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.