Primeiro homem a utilizar as bitcoins está congelado para que alguém, no futuro, reviva-o

Hal Finney, o primeiro homem a fazer uma transação com bitcoins , morreu na última quinta-feira por causa de uma esclerose lateral amiotrófica. O homem, que tinha 58 anos, pediu, anos antes de falecer, que seu corpo fosse congelado para que, no futuro, alguém possa revivê-lo e curÁ-lo.

O processo, chamado de criogenia humana, retira todo o sangue do corpo da pessoa e o substitui com uma solução química chamada de M-22, que previne a formação de cristais de gelo e o apodrecimento dos tecidos. Além disso, Finney estÁ dentro de uma câmara de três metros de altura e cerca de 450 litros de nitrogênio líquido, resultando em uma temperatura de -195°C.

Finney e sua esposa decidiram que iriam optar pela criogenia humana hÁ 20 anos. Mesmo que nenhum valor tenha sido divulgado, a revista Wired estima que 25 bitcoins (o que dÁ, atualmente, cerca de 28 mil reais) cobriram grande parte das despesas do processo. Hal Finney é um dos primeiros a participar da criogenia humana, que é atualmente utilizada em embriões.

O pioneiro das bitcoins permanecerÁ congelado até "o tempo em que tivermos tecnologias para reparar os seus problemas, como a esclerose e o processo de envelhecimento", é o que disse Max More, diretor a Fundação Alcor Life Extension, responsÁvel pela criogenia humana, e amigo de longa data de Finney. 

Nenhum ser humano foi revivido após passar por criogenia humana até hoje, mas, segundo a esposa de Finney, Fran Finney, as dúvidas nunca impediram o seu marido de explorar tecnologias que o intrigassem. Além do que, muitos médicos acreditam que o processo possa, no futuro, dar certo.

- Continua após a publicidade -

Via Info Abril e Wired

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Luiz Menezes

    Luiz Menezes

    Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina desde o segundo semestre de 2012 e gamer desde 1999, quando teve a oportunidade de jogar "Adventure" no Atari (mesmo não passando nem da segunda fase). Hoje é estressado com o Xbox 360 e com os ADCs noobs que sempre feedam o Draven. Trabalha na Adrenaline por causa da paixão por games e porque precisa de dinheiro para comprar consoles novos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.