Pesquisa: mulheres são 48% do público gamer nos EUA; games sociais são os que mais crescem


Crédito de foto: Shane K | Creative Commons

Uma pesquisa publicada pela Entertainment Software Association (ESA) revelou que as mulheres são praticamente tão participativas na indústria dos jogos eletrônicos nos Estados Unidos quanto os homens. No maior mercado mundial de games, o público feminino representa 48% de todas as pessoas que jogam no país. JÁ o público masculino ficam com os outros 52% restantes.

Além disso, 59% da população dos Estados Unidos, ou seja, cerca de 184 milhões de pessoas, considera-se gamer ou tem algum tipo de envolvimento com jogos eletrônicos de qualquer tipo de plataforma (PC, consoles, portÁteis, smartphones ou redes sociais).

A pesquisa foi realizada com famílias em mais de 2.200 residências espalhadas pelos Estados Unidos. Sem especificar a quantidade exata de pessoas entrevistadas para obter os resultados divulgados, pais e filhos foram questionados sobre seus hÁbitos com jogos eletrônicos. 

- Continua após a publicidade -


Idades e público-alvo

Outros dados divulgados pela pesquisa da ESA mostram que 39% dos jogadores (homens e mulheres) tem 36 anos ou mais, 32% tem entre 18 e 35 anos e, talvez para a surpresa de muitos, 29% tem menos de 18 anos, indicando uma mudança de perspectiva de público-alvo na maturidade alcançada pela indústria de games.

JÁ a média de idade entre os jogadores (masculinos e femininos) é de 31 anos, sendo que 36% desse público é constituído por mulheres com idade acima dos 18 anos. E jogadores homens com menos de 18 anos alcançam apenas 17% de participação neste mercado.

- Continua após a publicidade -

"Pessoas de todas as idades estão jogando games. Não existe mais um esteriótipo específico para 'gamer', uma vez que um jogador agora pode ser seus avós, seu chefe e até mesmo seu professor", disse Jaison Allaire, professor de psicologia da Universidade da Carolina do Norte, em declaração complementar aos resultados da pesquisa.


Games sociais e arrecadação total

O relatório ainda revelou que os jogos sociais e casuais foram os maiores contribuintes no crescimento da prÁtica gamer nos EUA, representando 30% de toda a a participação na indústria de games. 

Ainda, 44% dos jogadores (entre homens e mulheres) joga em smartphones e, em virtude do acesso fÁcil à internet banda larga, a plataforma é responsÁvel por 62% de todos os games jogados por lÁ. O crescimento foi de 50% de 2012 para 2013.

Por fim, a indústria dos jogos eletrônicos nos Estados Unidos fechou 2013 com uma arrecadação de US$21.53 bilhões. Desse montante, a venda de jogos resultou em US$15.39 bilhões, as vendas de hardwares em US$4.26 bilhões e, os acessórios, em US$1.89 bilhão.

A ESA é uma organização norte-americana especializada em compilar dados sobre o uso, a demografia do público participante e as vendagens dos jogos eletrônicos que circulam nos EUA. A maioria das principais produtoras no ramo, entre elas Electronic Arts, Ubisoft, Konami, Capcom, Nintendo, Sony e Microsoft, são membros da ESA.  

Via ESA, Tech Times e PBS.  

Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

A Activision acertou ao colocar músicas do Charlie Brown Jr. no Tony Hawk's 1+2

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.