Intel anuncia 2ª geração da placa Galileo, voltada para educação e mercado "DIY"


A Intel anunciou a 2º geração da placa de desenvolvimento Galileo, projetada para o mercado de estudantes, educadores e entusiastas da comunidade do "faça você mesmo" (da sigla em inglês DIY). Primeira de uma família da Intel com certificação Arduino, ela é baseada no SoC Intel Quark X1000, que traz processador com tecnologia Pentium single-core de 32-bits rodando a 400 MHz.

Os objetivos aqui, é claro, são alcançar um baixo custo e uma alta eficiência energética. Mesmo assim, ele traz uma boa lista de entradas e saídas, como um slot mini PCI-Express, porta Ethernet de 100 MB, slot Micro-SD, porta USB host e porta USB client. Além disso, ele traz 256 MB de memória Ram DDR3.

As principais alternativas à placa da Intel são a Raspberry Pi, que lÁ fora custa entre US$ 25 (R$ 50) e US$ 35 (R$ 77), e a BeagleBone, que custa US$ 50 (R$ 110) lÁ fora. Ambas são mais baratas que a Galileo de 2ª geração, que custa US$ 60 (R$ 130), mas trazem menos funções.

A nova Galileo traz algumas melhorias em relação a 1ª geração da placa, lançada em 2013. A Intel diz ter ouvido o feedback da comunidade, e com isso implementou melhorias no desempenho GPIO e tornou a sinalização PWM mais precisa, para trazer um controle motor. Além disso, foram adicionadas uma série da novas interfaces de entrada/saída, assim como a adição da compatibilidade com Power-over-Ethernet.

- Continua após a publicidade -

Quando apresentou a Galileo de 1ª geração, a Intel prometeu focar bastante na parte da educação. O CEO da empresa, Brian Krzanich, disse que 50 mil dessas placas seriam distribuídas gratuitamente em mil universidades, num período de 18 meses. Ainda em 2013, 100 placas Galileo foram doadas para universidades brasileiras.

Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.