Pesquisa: por alguns centavos, maioria dos usuários baixam software suspeito em seus PCs

Métodos refinados de invasão jÁ tomaram controle até mesmo de usinas nucleares, formaram botnets e jÁ trouxeram prejuízo para muita gente. Mas segundo uma pesquisa de membros da Universidade de Carnegie Mellon e da Pensilvânia, bastavam alguns centavos para conseguir atingir uma boa quantidade de PCs com softwares maliciosos, sem todo este refinamento na invasão dos sistemas.

Para realizar a experiência, os pesquisadores utilizaram o Mechanincal Turk, um serviço da Amazon que permite a um contratante conseguir pessoas para realizar ações impossíveis para softwares ou outra forma automatizada, como legendar imagens, por exemplo. Nesta plataforma, os pesquisadores contrataram pessoas para rodar um programa sem um fim definido por um período de uma hora, para receberem um código e posteriormente o pagamento. O trabalho foi apresentado apenas como "ganhe dinheiro sem fazer nada".

Oferecer o pagamento de um centavo de dólar foi o bastante para que 141 pessoas, quase a metade das 291 que visualizaram a oferta, baixassem o aplicativo que pede permissões de acesso ao computador do usuÁrio. Quase metade destes (64) rodaram o aplicativo por uma hora e enviaram a key para receber o pagamento.

O alcance e efetividade da propaganda acompanhou o aumento da oferta: quando a proposta oferece um dólar para cada usuÁrio, 67% dos usuÁrios baixaram o aplicativo, e destes 64% rodaram a aplicação até o final. Neste cenÁrio, com uma amostragem de 1105 pessoas, 474 foram até o final do experimento. 

- Continua após a publicidade -

Porém nem todos rodaram a aplicação sem tomar precauções: 17 usuÁrios usuÁrios rodaram o aplicativo em mÁquinas virtuais, representando 1.8% de todas as pessoas instalaram o software e rodaram o aplicativo.

O resultado da pesquisa não é novidade para muitos: a maioria dos usuÁrios não é cuidadosa com o que instala e roda em seus computadores. Apesar de 70% dos participantes da pesquisa responderem que é perigoso rodar um aplicativo desconhecido em seus sistemas, basta uma quantia irrisória para que uma boa parte deles esqueça deste fato e comprometa a segurança de seus PCs.

Confira a pesquisa completa neste PDF (em inglês).

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.