Tráfego global IP atingirá 1,6 zettabytes até 2018, prevê estudo

De acordo com o estudo global Cisco Visual Networking Index (VNI) and Service Adoption para o período de 2013 a 2018, o trÁfego global do protocolo de Internet (IP) terÁ um aumento de quase três vezes nos próximos cinco anos, impulsionado por fatores como maior número de usuÁrios e de dispositivos na Internet, banda larga mais rÁpida e mais visualizações de vídeo. O trÁfego IP global para conexões fixas e móveis deve chegar a uma taxa anual de 1,6 zettabytes - mais de um trilhão e meio de gigabytes por ano, até 2018. O trÁfego anual IP projetado para 2018 serÁ maior do que todo o trÁfego gerado mundialmente no período de 1984 até 2013 (1,3 zettabytes).

A composição do trÁfego IP vai mudar dramaticamente nos próximos anos. Pela primeira vez na história da Internet, durante o período para o qual a previsão foi feita, a maior parte do trÁfego serÁ provisionada de dispositivos alternativos, e não dos computadores pessoais (PCs). O trÁfego Wi-Fi vai ultrapassar o trÁfego de internet a cabo pela primeira vez, e o vídeo em alta definição (HD) vai gerar mais trÁfego do que o de definição padrão (SD).

A Internet de Todas as Coisas (IoE) também ganha força e, até 2018, deverÁ haver quase tantas conexões mÁquina-a-mÁquina (M2M) quanto pessoas na Terra. Smart cars, a nova geração de carros inteligentes, terão até quatro módulos M2M por carro.

Copa do Mundo de 2014 impulsiona trÁfego na Internet

Com a Copa do Mundo da FIFA marcada para começar nesta quinta-feira (12 de junho), espera-se que milhões de pessoas assistam aos jogos e/ou os destaques pela Internet. Estima-se que streamings de vídeo e transmissões em IP da Copa do Mundo deverão gerar 4,3 exabytes de trÁfego IP, três vezes o trÁfego IP mensal gerado atualmente pelo Brasil (sede da Copa do Mundo deste ano). Além disso, o trÁfego de Internet gerado por 60 mil pessoas em um estÁdio e viajando para os jogos deverÁ ultrapassar o trÁfego embusy hour (período de 60 minutos com a carga mÁxima de trÁfego num determinado período de 24 horas) - horÁrio de pico - dos 94 milhões de assinantes de smartphones no Brasil.

Estima-se que o trÁfego de IP global chegue a 132 exabytes por mês em 2018, o equivalente a:

- Continua após a publicidade -

• 8,8 bilhões de telas fazendo streaming da partida final da Copa do Mundo da FIFA em Ultra-HD/4K ao mesmo tempo;
• 5,5 bilhões de pessoas assistindo a quarta temporada de "Game of Thrones" compulsivamente através de vídeo-on-demand em HD ou 1,5 bilhão assistindo em Ultra-HD/4K;
• 4,5 trilhões de vídeos do YouTube; e
• 940 quatrilhões de mensagens de texto.

Esta previsão atualizada do Cisco VNI Forecast, que inclui o aumento do trÁfego global de IP fixo e as tendências de adoção de serviços, complementa a previsão Cisco VNI Global Mobile Data Traffic Forecast divulgada no início deste ano.

Principais conclusões: Projeções de trÁfego global e impulsionadores da adoção de serviço

1) TrÁfego IP

• Dispositivos móveis e portÁteis que não sejam PCs vão conduzir a maioria do trÁfego até 2018. Em 2013, 33% do trÁfego IP foi originado em dispositivos não-PC, no entanto, até 2018, a parcela de trÁfego IP não-PC deverÁ aumentar para 57%. O trÁfego originado em PC deverÁ crescer a uma taxa composta de crescimento anual de 10% (CAGR, Compound Annual Growth Rate), enquanto outros dispositivos/conexões terão taxas de crescimento de trÁfego mais elevadas ao longo do período de previsão, incluindo TVs (18%), tablets (74%), smartphones (64%) e conexões M2M (84%).
• O trÁfego de Internet em horÁrio de pico cresce com mais rapidez que o trÁfego médio da Internet. Este trÁfego cresceu 32% em 2013, comparado com 25% de crescimento do trÁfego médio da Internet.
• O trÁfego originado em redes metropolitanas superou o trÁfego de longa distância em 2013. O trÁfego metropolitano irÁ crescer quase duas vezes mais rÁpido que o trÁfego de longa distância entre 2013 e 2018. Este crescimento deve-se, em parte, às redes de distribuição de conteúdo, o que vai gerar mais da metade do trÁfego total da Internet em 2018.

- Continua após a publicidade -

2) Vídeo IP

• Vídeo IP vai representar 79% de todo o trÁfego IP em 2018, acima dos 66% registrados em 2013. • Vídeo Ultra HD serÁ responsÁvel por 11% do trÁfego de vídeo IP em 2018, comparados aos 0,1% em 2013. Vídeo HD serÁ responsÁvel por 52% do trÁfego de vídeo IP em 2018 (contra 36%) e SD serÁ responsÁvel pelos 37% restantes (contra 64%).

3) TrÁfego IP por Tipo de acesso

• Wi-Fi e dispositivos móveis conectados vão gerar 61% do trÁfego IP até 2018, sendo que o Wi-Fi terÁ 49% e celulares 12% do trÁfego. O trÁfego fixo serÁ responsÁvel por apenas 39% do total do trÁfego IP até 2018. Em comparação a 2013, o Wi-Fi tinha 41% do trÁfego IP; celulares 3% e fixos, 56%.
• Wi-Fi e dispositivos móveis conectados deverão gerar 76% do trÁfego da Internet até 2018, sendo que o Wi-Fi serÁ responsÁvel por 61% e celular 15%. O trÁfego fixo serÁ de apenas 24% do trÁfego total da Internet, em 2018. Em comparação a 2013, o trÁfego gerado por Wi-Fi foi de 55%; celular tinha 4% e fixos representavam 41% do trÁfego.

4) Dispositivos / Conexões

• Em 2018, haverÁ cerca de 21 bilhões de conexões de rede no mundo (dispositivos fixos/móveis pessoais, conexões M2M, etc.), contra cerca de 12,4 bilhões de conexões registradas em 2013.
• Em 2018 haverÁ 2,7 dispositivos/conexões em rede per capita no mundo, contra 1,7 per capita em 2013.
• HaverÁ 7,3 bilhões de conexões M2M no mundo, ou quase uma conexão M2M per capita, com base numa população de 7,6 bilhões de pessoas, em 2018.
• HaverÁ 10 bilhões de dispositivos fixos e móveis compatíveis com IPv6 em 2018, contra os 2 bilhões registrados em 2013.

5) Velocidade de Banda Larga Mais RÁpida

• A velocidade global da banda larga vai atingir 42 Mbps em 2018, contra 16 Mbps registrados no final de 2013.
• A maioria das conexões de banda larga, estimada em 55%, serÁ mais rÁpida que 10 Mbps em 2018. As velocidades médias de banda larga no Japão e Coreia do Sul chegarão a 100 Mbps em 2018.

6) Adoção de Serviços Avançados

• O vídeo online serÁ o serviço de internet residencial que mais vai crescer, com taxa composta de crescimento anual de 10% entre 2013 e 2018, passando de 1,2 bilhão de usuÁrios para 1,9 bilhão de usuÁrios, até 2018.
• Os serviços baseados em localização serão os de maior crescimento dentro dos serviços móveis destinados aos consumidores, com taxa composta de crescimento anual de 36% entre 2013 e 2018, passando de 236 milhões de usuÁrios em 2013 para mais de 1 bilhão de usuÁrios em 2018.
• A videoconferência em Área de trabalho e pessoal serÁ o serviço de Internet para negócios com crescimento mais rÁpido, com taxa composta de crescimento anual de 45% entre 2013 e 2018, passando de 37 milhões de usuÁrios em 2013 para 238 milhões de usuÁrios em 2018.

Principais projeções de crescimento Regional e por País

• A região da Ásia-Pacífico (APAC) vai gerar o maior trÁfego IP em 2018, com 47,6 exabytes (36% do trÁfego IP global) por mês. Com a maior população do mundo e o maior número de dispositivos/conexões, a região APAC apresenta uma grande utilização da rede e irÁ manter sua posição como líder em geração de trÁfego até 2018.
• A região do Oriente Médio e África (MEA) continuarÁ a ser a região com maior crescimento do trÁfego IP entre 2013 e 2018, crescendo cinco vezes mais, com taxa composta de crescimento anual de 38%.
• Em 2018, os países que mais vão gerar trÁfego serão os Estados Unidos, com 37 exabytes por mês e a China com 18 exabytes por mês.
• Os países com crescimento de trÁfego IP mais rÁpido serão a Índia, com taxa composta de crescimento anual de 39% entre 2013 e 2018, seguida pela Indonésia, com taxa composta de crescimento anual de 37%.

Principais destaques do Brasil

TrÁfego IP

• O trÁfego IP no Brasil crescerÁ duas vezes entre 2013 e 2018, com uma taxa anual composta de 20%, atingindo 3,9 Exabytes por mês em 2018, contra 1.6 Exabytes por mês em 2013.

TrÁfego via Internet

• Em 2018 haverÁ 142 milhões de usuÁrios de Internet no Brasil, diante de 81 milhões em 2013.
• O trÁfego da Internet crescerÁ 2,4 vezes entre 2013 e 2018, com uma taxa anual composta de 19%, atingindo 3,5 Exabytes por mês em 2018, diante de 1,5 Exabytes por mês em 2013.
• O trÁfego da Internet do Brasil serÁ o equivalente a 353 vezes o volume de toda Internet brasileira em 2005.

Internet Vídeo

• O trÁfego de vídeo pela Internet crescerÁ 3 vezes até 2018, atingindo 2,8 Exabytes por mês e serÁ responsÁvel por 82% de todo trÁfego da Internet em 2018, diante de 63% em 2013.
• O trÁfego de Internet Vídeo para TV crescerÁ 10 vezes entre 2013 e 2018.
• 39,3% do vídeo pela Internet serÁ HD e 2,2% Ultra HD.

Dispositivos Conectados

• O estudo prevê que haverÁ 645 milhões de dispositivos conectados em 2018, diante de 418,5 milhões em 2013.
• HaverÁ uma média de 3,1 de dispositivos conectados per capita em quatro anos. Em 2013 eram 2,1.
• As conexões M2M também devem aumentar no período, respondendo por 29% (187,5 milhões) de todos dispositivos conectados em 2018, comparado com 16% (65,7 milhões em 2013.
• As TVs conectadas representarão 13% de todos os dispositivos em rede em 2018, em comparação com 4% em 2013.
• Destaque também para as TVs 4K, que responderão por 22% de todas as TVs de tela plana em 2018.

Velocidade da banda larga

• A média de velocidade de banda larga fixa no país cresceu 23% entre 2012 e 2013, de 5,5 Mbps para 6,8 Mbps. Para 2018 é esperado um crescimento de 2,5 vezes, chegando a 17 Mbps.
• 71% das conexões de banda larga fixa no Brasil serão superiores a 5 Mbps em 2018, contra 44% de 2013.

Mais informações sobre os dados do VNI por regiões e países, acesse: http://www.cisco.com/web/solutions/sp/vni/vni_forecast_highlights/index.html

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.