Fazer anotações digitando é menos eficiente para o aprendizado que escrever à mão, afirma estudo

Com a popularização dos computadores, aos poucos os notebooks vem migrando para as salas de aula. Porém este gadgets podem ser ineficientes na hora do aprendizado, e isto não tem nada a ver com o fato de você poder dividir sua atenção entre a aula e os updates do Facebook: fazer anotações nos laptops é menos eficiente que o bom e velho caderno e lÁpis.

A pena é mais forte que o teclado 

O estudo foi divulgado na Psychulogical Science, e indicou outro efeito negativo dos notebooks nas aulas, além da distração: por ser muito mais fÁcil e rÁpido digitar, os alunos simplesmente transcrevem a aula, sem se prestar atenção para memorizar. Com a escrita manual, que é mais lenta, os alunos precisam manter o foco na fala do professor, pois não serão capazes de anotar tudo o que é dito. O resultado destes dois métodos é que os alunos anotando em um caderno saem da aula tendo memorizado mais conteúdos.

A pesquisa, realizada pela Universidade da Califórnia e Los Angeles, colocou estudantes para assistir palestras do TED Talks, sendo que parte dos alunos fizeram as anotações à mão e outra parte utilizou notebooks sem conexão à internet. Os alunos que utilizaram o caderno se saíram melhores em perguntas conceituais, e também foram os mais eficientes na hora de relembrar as informações, depois de um longo intervalo após assistirem o vídeo.

- Continua após a publicidade -

"Apesar de tomar mais notas ser algo benéfico, se as notas são feitas de forma indiscriminada ou simplesmente uma transcrição mecânica, esta eficiência de quem usa um laptop, no lugar de transcrever manualmente, se perde".

"Efeito Google"
Outra pesquisa a relacionar o impacto das novas tecnologias e nossa capacidade de memorizar informações é o estudo "Google Effects on Memory: Cognitive Consequences of Having Information at Our Fingertips" (Efeitos do Google na Memória: Consequências Cognitivas de ter Informações na Ponta dos Dedos, em tradução livre). A pesquisa indica que ao invés de guardarmos a informação bruta, estamos nos adaptando para melhorar nossa capacidade de buscar os dados, online. Assim estamos ganhando mais agilidade na hora de utilizar mecanismos de busca e memorizando mais sites de referência para cada assunto.

Desta forma, como somos capazes de armazenar todos os conteúdos, ou através de uma busca encontrar as informações, nosso cérebro estÁ se ajustando para esta nova realidade. Estamos trocando o foco para, ao invés de guardar o conhecimento, memorizar onde estão as fontes e sites onde esta informação pode ser encontrada.

Via Psmag

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

É melhor ter o xCloud capado no iOS ou ficar sem o serviço nos iPhones?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.