Intel faz maior investimento em data center da sua história e amplia foco em Big Data

A Intel anunciou ontem o maior investimento de data center jÁ feito na sua história. A empresa adquiriu a maior parte das ações da Cloudera, tornando-se membro do seu corpo diretivo. A união das duas empresas aumentarÁ o desenvolvimento de tecnologias para processamento de grandes quantidades de dados, criando possibilidades para diversas aplicações e tecnologias para a Internet das Coisas. A Intel havia anunciado também a aquisição de outra empresa, a Basis, voltada para dispositivos vestíveis e saúde.

A Cloudera contribuirÁ com o software de anÁlise de dados empresariais do Apache Hadoop enquanto a Intel fornecerÁ o potente hardware de data center com seu processador Intel Xeon. "O trabalho em parceria com a Intel, líder da indústria em inovação tecnológica para o data center, nos dÁ a oportunidade de posicionar o Hadoop na principal estrutura de trabalho da plataforma", disse o chefe do departamento executivo da Cloudera, Tom Reily. "A visão da Intel de fornecer soluções abertas e otimizadas para o desempenho para big data acompanha a nossa visão de ajudar as empresas a acelerarem o tempo necessÁrio para o sucesso", completou ele.

A Cloudera desenvolverÁ e otimizarÁ a distribuição da Cloudera, incluindo o Apache Hadoop (CDH), para a arquitetura Intel como a sua plataforma preferida e suportarÁ uma gama de tecnologias de próxima geração incluindo tecidos, memória flash e segurança da Intel. Em troca, a Intel comercializarÁ e promoverÁ a CDH e a Cloudera Enterprise para seus clientes como a plataforma Hadoop preferencial. As otimizações da Distribuição da Intel para Apache Hadoop/Intel Data Platform (IDH/IDP) serão integradas ao CDH e IDH/IDP após o lançamento da versão 3.1 no final de março. Para garantir uma transição perfeita dos clientes para a CDH, Intel e Cloudera trabalharão juntas em um caminho para a migração da IDH/IDP. 

Assuntos
Tags
  • Redator: Leonardo Lorenzoni

    Leonardo Lorenzoni

    Apaixonado por videogames desde que jogou Yu-Gi-Oh Forbidden Memories no Playstation e StarCraft no PC, sofre por ter nascido tão tarde e perder tanta bagagem cultural. Correndo atrás do prejuízo, divide a vida de estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com os vícios em séries e filmes. Gosta do Batman e não gosta do Superman. Escreve notícias para o Adrenaline e tenta não chegar atrasado.

Qual o seu palpite para os preços dos consoles da próximo geração?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.