Intel Science Talent Search premia US$ 1,25 milhões para estudantes inovadores

A edição 2014 do Intel Science Talent Search teve sua etapa final nesta semana, na capital norte-americana Washington, D.C. A competição, que incentiva a inovação e o desenvolvimento de tecnologias por alunos de escolas americanas, é financiado pela Intel Foundation e distribuiu US$ 1,25 milhões em prêmios. O vencedor foi o aluno de 17 anos da cidade de San Diego, Eric S. Chen, que ganhou US$ 100 mil pela sua pesquisa em possíveis novos medicamentos para combater o vírus Influenza.

O estudo de Eric se baseou em estudos biológicos com auxílio de tecnologias computacionais para compreender melhor os aspectos do vírus e a reação dele a determinadas substâncias que inibem a enzima "endonuclease", essencial para sua propagação.  O segundo colocado foi Kevin Lee, também de 17 anos e da cidade de Irvine, Califórnia, que desenvolveu um modelo matemÁtico para representar os batimentos cardíacos do coração humano que ajudarÁ a entender melhor e a tratar doenças como arritmia. Ele ganhou US$ 75 mil pela sua pesquisa, enquanto o terceiro colocado recebeu US$ 50 mil. William Henry Kuszmaul, também de 17 anos, da cidade de Lexington em Massachusetts, foi o terceiro colocado com sua nova abordagem para matemÁtica da enumeração modular, que possui aplicações em diversas Áreas da tecnologia, indo de computação até bioinformÁtica.

Alunos do último ano escolar de 1.794 escolas diferentes se inscreveram para a competição, sendo 300 eleitos semifinalistas no começo deste ano e 10 escolhidos para a grande final na capital norte-americana. Esses alunos se juntarão a outros tantos na história da premiação, que é a principal do ensino médio no país, que nos últimos 73 anos conquistaram vÁrios outros prêmios posteriormente, incluido 8 prêmios Nobel.

Assuntos
Tags
  • Redator: Leonardo Lorenzoni

    Leonardo Lorenzoni

    Apaixonado por videogames desde que jogou Yu-Gi-Oh Forbidden Memories no Playstation e StarCraft no PC, sofre por ter nascido tão tarde e perder tanta bagagem cultural. Correndo atrás do prejuízo, divide a vida de estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com os vícios em séries e filmes. Gosta do Batman e não gosta do Superman. Escreve notícias para o Adrenaline e tenta não chegar atrasado.

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.