Unidades da AMD Radeon R9 290X se esgotam nos Estados Unidos

HÁ tempos diversos sites internacionais apontam a falta de unidades das placas mais recentes da AMD para compra. A R9 290X, que chegou com uma alta performance e o preço competitivo abaixo dos US$ 600, sofreu uma inflação nos custos por conta da falta de unidades disponíveis para venda, chegando a ser vendida por US$ 699 na maioria dos revendedores.

 

Segundo informações do site Fudzilla, não hÁ mais placas R9 290X à venda na maioria dos grandes lojistas americanos. A placa jÁ vinha sofrendo um aumento de preço devido à demanda não atendida, chegando a custar US$ 799 em modelos com watercooling.

O vilão, segundo vÁrios sites especializados me hardware, é a "mineração" de moedas digitais, como o Litecoin e Bitcoin. As placas de vídeo da AMD tem apresentado um melhor desempenho na hora de "minerar" estas moedas criptografadas, e por isto tem sido preferidas em relação as placas da Nvidia. Outra teoria aponta um simples caso de falta de estoque: a AMD não estÁ conseguindo fornecer ao mercado placas de vídeo de nova geração o suficiente para as lojas. JÁ entramos em contato com a AMD, estamos esperando uma posição oficial da empresa sobre a falta de estoques e variações nos preços.

Independente da causa, com o aumento de preço e falta de estoque das novas placas de vídeo estão fazendo elas perder um dos grandes atrativos: o custo competitivo. Quando lançada, a R9 290X chegou a um preço abaixo da GTX 780, com mais performance, o que foçou um reposicionamento de preços por conta da Nvidia, e o lançamento da placa de vídeo GeForce GTX 780Ti, para fazer frente a AMD na disputa da placa single-chip mais potente.

- Continua após a publicidade -

Falando em R9 290X, estamos prestes a liberar a anÁlise desta placa, aqui no Adrenaline. Continue de olho no site para novidades!

Assuntos
Tags
amd
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.