Sony vende a divisão de computadores e notebooks VAIO

Ainda realinhando os rumos depois de cinco anos no prejuízo, a Sony decidiu vender sua divisão de notebooks e computadores VAIO para o Japan Industrial Partners (JIP). A razão da venda é um velho conhecido desta indústria: a estagnação (e muitas vezes retração) do mercado de computadores.

Mesmo a modernização da linha, com a introdução de modelos híbridos, não foi o suficiente para tornÁ-la atrativa 

 

A japonesa deve finalizar a venda até o final de março deste ano, e pretende focar seus esforços em produtos da "Era pós-PC" (leia-se smartphones e tablets). A decisão faz sentido, principalmente porque a divisão de celulares inteligentes, que se tornou exclusiva da Sony após a compra da parte da Ericsson no negócio, vem sendo uma das principais fontes de renda da empresa, junto com sua divisão de jogos, a Playstation.

- Continua após a publicidade -

A linha VAIO era conhecida principalmente por seu design diferenciado, algo que ganhou a atenção até mesmo de Steve Jobs: o co-fundador da Apple chegou a fazer contato com a empresa japonesa para fabricação de notebooks VAIO com o sistema Mac OS, saindo inclusive da própria lógica de mercado da Apple de fabricar tanto o hardware quanto o software de seus produtos.

A venda serÁ uma notícia ruim para 5.000 funcionÁrios da Sony, da Área de VAIO, que perderão seus empregos. Deste, 1.500 estão situados no Japão e os demais distribuídos nos diversos países de atuação desta linha de computadores. A JIP jÁ afirmou que irÁ "honrar a garantia" dos produtos adquiridos recentemente.

Com os relatórios fiscais do último trimestre do ano passado sendo divulgados por muitas empresas, aparentemente estÁ aberta a temporada de compras e vendas da indústria tecnológica. Nos últimos dias a Lenovo comprou a divisão de servidores da IBM e a Motorola, enquanto a Toshiba finalizou a compra da OCZ.

Para a Sony, a venda desta divisão pouco lucrativa auxilia a empresa a focar em Áreas mais rentÁveis. Outra divisão que pode passar pela "degola" é a de televisores, que segundo planejamento pode virar uma empresa autônoma até junho de 2014.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.