Facebook vai perder 80% dos usuários até 2017, revela estudo

[+update]:

O Facebook respondeu "na mesma medida", divulgando uma pesquisa – usando métodos semelhantes – que diz que a Universidade de Princeton deixarÁ de existir em 2021. Eles começaram comparando a tendência das curtidas das unviersidades Yale e Harvard com a tendência da Princeton. Confira as tendências:


Depois, a pesquisa feita pelo Facebook mostra dados do Google Scholar, que indicam queda nas solicitações de matrícula para a Princeton. Além disso, a tendência do índice, segundo o Google, é que ele piore. E o Google Trends mostra que a procura pelo termo Princeton estÁ diminuindo. E o Facebook finaliza, concluindo que, em 2018, a universidade terÁ metade dos alunos que tem hoje, e que perderÁ todos até 2021.

A empresa adota um tom irônico no final, dizendo que, como o estudo da Princeton, sua pesquisa ainda não passou pelo processo de revisão por pares, mas que cada "curtida" conta como uma revisão. E adiciona uma observação no final, ao dizer que não imagina que nem a Princeton e nem o suprimento de oxigênio no mundo deverão acabar tão cedo. Via Facebook e Tecnoblog.

[Notícia original]: 

- Continua após a publicidade -

O Facebook possui hoje mais de 1,1 bilhão de usuÁrios, mas de acordo com pesquisadores norte-americanos, a rede social vive o seu Ápice antes da queda e vai perder 80% desse número até 2017. Os doutorandos em engenharia mecânica e aeroespacial da Universidade de Princeton John Cannarella e Joshua Spechler chegaram a essa conclusão tendo como base a queda e ascensão do MySpace.

No estudo, que ainda precisa ser aprovado por outros pesquisadores da mesma Área, eles comparam a rede social com patologias e dizem que, "assim como as doenças, as ideias parecem se disseminar como infecções entre as pessoas antes de acabar morrendo." Em termos de uso de dados, a queda jÁ estaria acontecendo desde 2012.

Só neste ano, o Facebook perderia 20% de seus usuÁrios. Outros indícios de que a rede estaria caindo é a migração dos jovens para aplicativos de mensagens instantâneas, como o WhatsApp que só vem crescendo e chegou a 430 milhões de usuÁrios neste mês. A notícia vem na semana que as ações da rede social tiveram uma nova alta. Os papéis da companhia que fecharam ontem custando US$58,51. As informações são do G1.

Assuntos
Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.