Hands-on: Castlevania: Lords of Shadow 2 tem batalhas empolgantes e fluidez impressionante

Na BGS 2013, tive a oportunidade de testar "Castlevania: Lords of Shadow 2", sequência do reboot lançado pela MercurySteam (Konami) em 2010. Esse é um dos últimos jogos desta geração dos consoles e um dos melhores pretextos para não precisar investir tão cedo numa nova plataforma. O game traz uma excelente combinação de sistema de combate bastante sólido, cenÁrios grandiosos, grÁficos excelentes e batalhas contra chefes cinematogrÁficas.

Assim que a partida começa, não tem como notar que o visual estÁ bem melhor que o episódio anterior: os ambientes, com maiores em escala e mais interativos, convencem com texturas e iluminação dinâmica melhor aplicadas. HÁ castelos inteiros, becos, mezaninos, calabouços e outras Áreas extremamente críveis para explorar. As Áreas externas são impressionantes e, em muitas delas, você pode se pendurar e escalar para percorrê-las. Tudo é muito caprichado e roda com uma fluidez impecÁvel, sem qualquer tipo de falha na engine. A experiência se torna ainda mais convidativa com a jogabilidade melhor sistematizada e fÁcil de se adaptar. É uma evolução muito bem feita do jogo original.


Combates  empolgantes / chefes gigantescos

No controle de Gabriel Belmont, você encara um rÁpido tutorial e logo aprende recursos bÁsicos e avançados das habilidades. Existem dois padrões de ataque: um mais simples e outro mais pesado. Servem mais para construir uma sequência de combos ou para manter os inimigos a uma distância mais segura. Nem sempre funciona, é claro. Por isso, você também aprende que defender na hora certa é fundamental para encaixar mais golpes e continuar a ação frenética. Mas não é só isso: é possível desviar para a direção que quiser, facilitando as estratégias de aproximação.

- Continua após a publicidade -

Uma das novidades é que, agora, o protagonista é um vampiro e, muito mais poderoso, pode sugar a energia vital dos inimigos e usar de duas formas diferentes: recuperar alguns pontos de vida da sua barra de energia ou para adicionar garras à sua arma principal. No primeiro caso, é preciso apertar o botão na hora certa para morder o pescoço dos inimigos e recuperar parte da vida. Funciona como se fosse um QTE bem simples. JÁ no segundo, as garras são acionadas com um dos gatilhos superiores do controle e servem mais para quebrar escudos que alguns adversÁrios usam.

A mesma demo jogada pelo site GamesRadar

Essa última ainda pode ser usados contra sub-chefes, sendo muito útil para abrir caminho para ataques fulminantes e para ter uma margem no aprendizado do padrão de comportamento deles. As batalhas são constantemente desafiantes e não requerem apenas que você aperte freneticamente os botões, mas que sincronize os seus movimentos e tenha consciência do que esteja fazendo. Os controles são muito bem otimizados, intuitivos e você realmente se sente no comando de um Dracula muito poderoso e pronto para ter a sua desejada dose diÁria de sangue.

E isso fica ainda mais evidente quando chegam os chefes gigantescos: o único disponível na demonstração impressiona não apenas por ter vÁrios estÁgios de evolução em um mesmo combate, mas funciona também como uma fase de aventura e plataforma em que você precisa revezar entre deslocamento e pulos, alcançar novas Áreas e chegar ao Ápice. É aqui onde você vê o real poder deles e sente-se intimidado pela diferença de proporção. Até perceber que tem total condições de derrubÁ-lo sem piedade alguma.

- Continua após a publicidade -

Infelizmente, aqui foi o tempo mÁximo que consegui jogar. Em pouco mais de 20 minutos, fiquei com a ótima impressão de que a MercurySteam melhorou o que havia de inconsistente - e de oportunidades perdidas na versão anterior - e que "Castlevania: Lords of Shadow 2" tem muito potencial para ser um dos melhores jogos do primeiro trimestre de 2014, quando sair para PC, Playstation 3 e Xbox 360 em 25 de fevereiro de 2014. 

Assuntos
Tags
  • Redator: Andrei Longen

    Andrei Longen

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Andrei Longen é entusiasta por videogames desde os 7 anos, quando ganhou um Odyssey 2, seu primeiro console. Hoje tem PS4, PS3 e PS Vita e adora caçar troféus em todos os jogos. Colabora no Adrenaline com notícias, análises, artigos, colunas e vídeos.

Qual vai ser o melhor game de setembro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.