Rumor: Samsung turbina Galaxy Note 3 para obter bons resultados nos benchmarks

UPDATE: A Samsung, mais uma vez, negou as acusações. "O Galaxy Note 3 maximiza suas freqüências de CPU e GPU quando roda funcionalidades que demandam desempenho substancial", afirmou um porta-voz da empresa ao CNET UK. "Isso não é uma tentativa de exagerar resultados em benchmarks particulares. Continuamos comprometidos a oferecer aos nossos clientes a melhor experiência de usuÁrio possível."

Tendo em vista que aplicações de benchmark realmente exigem muito do aparelho, a declaração da Samsung faz sentido. Mas é, no mínimo, estranho, que o aparelho se comporte de forma diferente simplesmente ao renomear o app, mesmo que ele continue executando as mesmas funções. E você, o que acha?

Texto original: Mais uma polêmica envolvendo a Samsung. A coreana jÁ foi acusada de turbinar artificialmente o Galaxy S4 para tirar o mÁximo proveito do seu processador apenas nos benchmarks, mas não em aplicações cotidianas. A empresa, é claro, negou tudo. Mas, agora, ela estÁ sofrendo uma nova denúncia, desta vez por causa do Galaxy Note 3.

O pessoal do Ars Technica percebeu que a versão americana do aparelho se saiu extremamente bem nos benchmarks. Tanto que ele deixou para trÁs, com numa diferença considerÁvel, o LG G2, que usa o mesmo processador – um Snapdragon 800 quad-core de 2.3GHz.


Após vÁrios testes, a equipe do site deduziu que o "modo especial" do Galaxy Note 3 era ativado ao utilizar aplicativos famosos de benchmark. Assim, o aparelho automaticamente colocava todos os núcleos do processador para trabalharem no mÁximo, algo que não ocorre com o seu uso normal.

Para comprovar isso, eles usaram um método simples: renomearam um dos aplicativos reconhecidos, o Geekbench, para Stealthbench. Dessa forma, o aparelho não reconheceu o aplicativo e rodou na performance normal, fazendo com que o resultado caísse cerca de 20%.

- Continua após a publicidade -


Assim, os resultados do Note 3 ficaram mais próximos do LG G2, mas, mesmo assim, um pouquinho superiores. Isso mostra que "turbinar" artificialmente os resultados não é exatamente uma necessidade para a Samsung, que pode muito bem se garantir com o smartphone. Resta saber o que a companhia irÁ argumentar desta vez.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Escolha sua arma:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.