Lei do Bem fará smartphones terem até 50 aplicativos brasileiros

O Ministério das Comunicações divulgou hoje, através do DiÁrio Oficial da União, os critérios e exigências para a desoneração de smartphones no Brasil. A Lei 11.196, popularmente conhecida como Lei do Bem, darÁ isenção fiscal para os smartphones montados aqui e com aplicativos desenvolvidos no Brasil. A partir do dia 10 de outubro, as empresas que quiserem se beneficiar da lei terão que disponibilizar ao menos 5 aplicativos criados em solo nacional. Em dezembro de 2014, o número mínimo exigido passa para 50.

Entretanto, a lei não obriga os aparelhos a virem com os aplicativos pré-instalados, eles podem ser disponibilizados no momento que o usuÁrio configura o aparelho pela primeira vez ou através de algum outro aplicativo que funcione como uma "loja alternativa". 

Os softwares devem ser obrigatoriamente criados no Brasil - seja por pessoa física ou pessoa jurídica - e o Ministério das Comunicações tem o poder de indicar periodicamente os aplicativos que as empresas devem incluir na lista. Além disso, a cota mínima jÁ tem uma programação de aumento definida pela portaria de hoje:

- Continua após a publicidade -
  • 10 de outubro de 2013 - 5 aplicativos no mínimo
  • 1º de janeiro de 2014 - 15 aplicativos no mínimo
  • 1º julho de 2014 - 30 aplicativos no mínimo
  • 1º de dezembro de 2014 - 50 aplicativos no mínimo

Os softwares desenvolvidos devem ser em português e englobar assuntos como: educação, saúde, esportes, turismo, produtividade e até mesmo jogos. Os aplicativos obrigatórios indicados pelo governo serão de origem governamental ou escolhidos por meio de concurso, desde que tenham utilidade pública. 

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Leonardo Lorenzoni

    Leonardo Lorenzoni

    Apaixonado por videogames desde que jogou Yu-Gi-Oh Forbidden Memories no Playstation e StarCraft no PC, sofre por ter nascido tão tarde e perder tanta bagagem cultural. Correndo atrás do prejuízo, divide a vida de estudante de jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com os vícios em séries e filmes. Gosta do Batman e não gosta do Superman. Escreve notícias para o Adrenaline e tenta não chegar atrasado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.