Hackers invadem página do Google na Palestina e pedem por reconhecimento do território

A pÁgina do Google na Palestina foi invadida por hackers que protestam contra o fato de o Google Maps mostrar o território palestino como pertencente a Israel. Em uma mensagem no portal, os responsÁveis pelo ataque pedem que fique claro que o local é a própria Palestina e questionam o "Tio Google" o que aconteceria se mudassem o nome de Israel para Palestina no serviço de mapas. "Seria uma revolução", eles mesmos respondem. Ainda ontem, o site voltou ao normal.


Screenshot disponibilizado pelo site ZDNet

De acordo com o ZDNet, os servidores do Google não foram atacados. Os hackers teriam seqüestrado o domínio do Google na Palestina e redirecionado para um servidor do Marrocos. No recado para o site de buscas, eles ainda recomendam ouvir a cantora Rihanna e serem "legais".

Embora os hackers não estejam satisfeitos com a postura do site sobre a Palestina, o Google jÁ tomou algumas providências para o reconhecimento da nação, que disputa territórios com Israel. Em maio, o Google alterou o nome da pÁgina inicial de "territórios palestinos" para "Palestina". O governo de Israel, na época, pediu que o Google reconsiderasse a decisão, pois poderia "minar os esforços para a paz na região".

Assuntos
Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.