Militar que vazou os dados para o Wikileaks é sentenciado a 35 anos de prisão

A corte-marcial responsÁvel pelo julgamento de Bradley Manning decidiu hoje o destino do militar americano. Manning foi sentenciado a 35 anos de prisão pelo vazamento de quase 700 mil documentos confidenciais do governo do Estado Unidos ao site Wikileaks. Bradley escapou da acusação mais severa, a de "aliar-se ao inimigo", que resultaria em prisão perpétua, porém foi considerado culpado de todas as demais acusações sobre o "Ato de espionagem", "Ato de fraudes e abusos digitais" e infração do código militar de justiça.

A Coronel Denise Lind levou dois minutos para ler a sentença, que reduziu a pena original de 90 anos, por considerar exagerada a decisão do tribunal marcial. Lind também destituiu Manning de todas suas patentes militares, confiscou todos os seus rendimentos e ordenou sua dispensa "desonrada". Bradley ouviu sua condenação de forma "indiferente", enquanto diversos de seus defensores gritavam "você é nosso herói".

Ao longo do processo, a defesa de Bradley argumentou que o militar sofria de problemas pessoais na época em que realizou o vazamento dos dados sigilosos. Manning afirmou que sofre de transtorno de identidade de gênero, e isto resultou em problemas psicológicos e isolamento. A acusação deu ênfase aos efeitos da ação do militar, que colocou diversos diplomatas americanos em situações delicadas, ao liberar os dados secretos sobre o relacionamento dos Estados Unidos com outros países.

- Continua após a publicidade -

Bradley chegou a pedir desculpa por seus atos, e por ter colocado a vida de pessoas em risco por suas ações, declaração que o site Wikileaks considerou falsa e "arrancada à força" pelo governo americano.

Entre os documentos e arquivos disponibilizados por Maning, estÁ um vídeo mostrando um ataque de helicóptero equivocado que causou baixas em civis no Afeganistão, informações sobre detentos de GuantÁnamo sem uma acusação formal e também excessos cometidos em conflitos como a Guerra do Iraque, com diversos casos de tortura.

Agora o caso serÁ encaminhado para a "Corte Militar de Apelações", mas depende da transcrição de todos os manuscritos do julgamento atual, algo que precisarÁ da aprovação tanto da defesa quanto da acusação e que deve demorar.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.